publicidade

Sem medo de punição, Belluzzo ataca e deixa torcida livre para contestar Simon

Presidente palmeirense afirma que árbitro gaúcho é ladrão e diz que torcedores devem agir de acordo com a consciência, em caso de encontro

Em mais de 40 minutos de entrevista na tarde desta segunda-feira, o presidente palmeirense Luiz Gonzaga Belluzzo não retirou uma palavra do que disse a respeito de Carlos Eugênio Simon, árbitro que anulou um gol legal de Obina na partida do último domingo, contra o Fluminense. Sem temer ser punido pelo Superior Tribunal de Justiça Desportiva (STJD) ou na justiça comum pelo juiz da partida, o mandatário alviverde comentou sobre o afastamento do gaúcho das próximas rodadas do Nacional.

- O afastamento é um caso da CBF e acho que isso não vai mudar nada. Tivemos a confissão de árbitros que prejudicaram um campeonato que foi quase refeito (caso da Máfia do Apito, em 2005). Estamos chegando na reta final do Brasileiro e noto acontecimentos estranhos nos jogos. Reafirmo o que falei em relação ao caráter dele, cometeu atos que redundaram em grandes prejuízos. Não tenho o hábito de chamar ninguém de ladrão, mas nesse caso todas as circunstâncias mostram que ele teve a intenção clara. A quem a anulação do gol do Obina beneficiou? A quem assumiu a ponta, a quem está um ponto atrás de nós e quem ganhou os três pontos. Só posso fazer essa suposição. Objetivamente houve três beneficiados – comentou o presidente alviverde, referindo a São Paulo, Flamengo e Fluminense.

Em entrevista ao jornal “Lance!”, Belluzzo chamou Simon de "vigarista, safado, sem vergonha e crápula", o acusou de estar vendido, "na gaveta de alguém", e disse que lhe daria "uns tapas" se o encontrasse na rua. O mandatário ainda deixou a decisão de confronto entre Simon e os torcedores palmeirenses, em uma próxima partida do árbitro em São Paulo, a critério de cada um.
- Eu disse realmente, num momento de irritação. Quando digo isso (dar uns tapas) é se encontrasse cara a cara. Não vou juntar um bando para pegá-lo. Espero que o torcedor palmeirense decida de acordo com a sua consciência e circunstância. Não sou superhomem, bonzinho nem santo. Sou presidente, humano e digo que tive vontade mesmo. Se estivesse agarrado com Simon não seria porque estava beijando – ironizou.

Belluzzo ainda pode ser denunciado no STJD pelas ofensas ao árbitro, com base no artigo 188 (manifestar-se de forma desrespeitosa, ou ofensiva, contra membros do Conselho Nacional de Esporte – CNE). A punição varia entre 30 e 180 dias. O mandatário alviverde ainda pode ser processado na justiça comum por Simon.

- Acho que o Simon tem o direito de me processar porque está dentro das regras. Se se sentir ofendido, deve processar. Posso ter cometido uma infração, reconheço, não gostaria de ter feito, mas fiz e, portanto, estou sujeito a um processo judicial. O STJD eu não sei o que vai fazer, mas tenho de me submeter. Mas não estou nem um pouco preocupado. A primeira coisa que teria de fazer é mostrar indignação com o árbitro, depois o resto. Não tem arrogância no que digo, me submeto ao que vier depois e não vou alegar perda de memória - completou

VEJA TAMBÉM
- NOVO TITULAR? São Paulo encaminha contratação de lateral titular para Zubeldía
- TOMOU DECISÃO: Zubeldía comunica ao São Paulo sobre negociação com Seleção Equatoriana
- Zubeldía esclarece sobre proposta do Equador e opinião sobre James Rodríguez


Receba em primeira mão as notícias do Tricolor, entre no nosso canal do Whatsapp


Avalie esta notícia: 1 0

Comentários (6)

Enviar Comentário

Para enviar comentários, você precisa estar cadastrado e logado no nosso site. Para se cadastrar, clique Aqui. Para fazer login, clique Aqui.