publicidade

Organização tática e vitória convincente do São Paulo impressionam Zubeldía

estreia promissora de Luis Zubeldía no comando do São Paulo em vitória tranquila sobre o Atlético-GO no Brasileirão

O São Paulo, sem dúvida alguma, deixou uma boa impressão para seu novo técnico na noite do último domingo. De um camarote do estádio Antonio Accioly, onde chegou já com a bola rolando, o argentino Luis Zubeldía assistiu ao Tricolor conquistar, com muita facilidade, sua primeira vitória neste Campeonato Brasileiro: 3 a 0 sobre o Atlético-GO. O adversário, é bem verdade, não ofereceu muita resistência. Teve, inclusive, dois jogadores expulsos e chegou à terceira derrota em três rodadas do Brasileirão. Mesmo assim, num passado bem recente, o São Paulo enfrentou o ainda mais frágil Cobresal e teve muita dificuldade para fazer 2 a 0 no Morumbis.

Agora, no domingo, o cenário foi bem diferente. Com Milton Cruz como interino no banco de reservas, o São Paulo entrou em campo com mudanças. O esquema, 3-5-2, foi o mesmo, mas as peças foram outras. Alan Franco foi titular na zaga, e André Silva ganhou uma vaga no ataque. As alterações deram resultado. A mudança ofensiva foi a que mais surtiu efeito no São Paulo. Alan Franco foi bem, mas o Atlético-GO pouco exigiu da defesa tricolor. Já André Silva foi, mais uma vez, decisivo.

O que também funcionou muito bem foi Luciano como armador do São Paulo. Thiago Carpini até já tinha tentado, mas não tinha surtido efeito. Contra o Atlético-GO, deu certo. O camisa 10 também deu muita movimentação ao ataque tricolor, circulou pelos lados do campo, "cavou" um pênalti e fez o segundo gol. É evidente que o que foi feito contra o Atlético-GO ainda tem o dedo de Thiago Carpini. Em poucos dias, seria impossível Milton Cruz virar o trabalho de cabeça para baixo.

Agora, resta a Luis Zubeldía aproveitar, ainda mais, os talentos do São Paulo para que, na quinta-feira, a equipe consiga novamente um bom resultado para se manter na zona de classificação para o mata-mata da Conmebol Libertadores. O Tricolor enfrentará o Barcelona de Guayaquil, fora de casa, na estreia do treinador.


VEJA TAMBÉM
- Meia argentino é oferecido ao São Paulo e tem preferência declarada
- Calleri e Rafinha processam empresa dona do jogo FIFA
- Zubeldía reforça torcida por renovação de lateral do São Paulo


Receba em primeira mão as notícias do Tricolor, entre no nosso canal do Whatsapp


Avalie esta notícia: 41 2

Comentários (7)
22/04/2024 11:09:26 anderson medeiros

claro evidente o time fora diferente E MUITO MELHOR DO QUE O CARPINTEIRO por causa de 2 MODIFICAÇÕES : ALAN FRANCO UM DOS MELHORES DA ZAGA E QUE SEMPRE NA RESERVA E O ANDRÉ. CONCLUSÃO, ESCALAR OS MELHORES!!! OS PIORES COLOCAR A VENDA OU EMPRESTAR. OS 22 DO ELENCO TEM QUE TER CAPACIDADE DE TODOS SEREM TITULARES. NADA DE PÉ DE RATO. NAO PODE INSISTIR COM OS PÉ S NA COVA PQ ELES DERRUBAM TREINADORES E NATA O TORCEDOR DE INFARTO!! MORO!!!?????

22/04/2024 10:42:00 Edivaldo Santos

Convincente prá quem? O adversário com menos dois e os incompetentes tocando bolas prós lados e para trás. Aí como prêmio o treinador tiro o centro avante referência, tira o Alan franco que vinha fazendo uma excelente partida e mantém a avenida Diego Costa.

22/04/2024 08:50:48 Ozias Bezerra de pula

será que queimaram o Carpini!

22/04/2024 07:19:42 Marcos Silva

Esse jogo teve a mesma formação tática e praticamente as mesmas peças a diferença foi a garra e a movimentação do time e isso não tinha no comando do Carpinteiro.

bronze
22/04/2024 05:39:35 TS

Foi bastante curioso. Jogou praticamente o mesmo time, com a mesma formação e, em dois dias, a qualidade mudou completamente.

Não acredito que os jogadores estavam querendo derrubar o Carpini porque parecia que gostavam dele.

O importante é que a partida de ontem significou mais que 3 pontos, mas a esperança que a temporada não está perdida.

ouro
22/04/2024 04:52:00 Sid_Soberano

O que realmente funcionou neste jogo,foi a maneira tática do time!

Com o Carpini,faltou uma maior compactação,tanto na marcação,como quando eram feito as jogadas!

Jogadores ficavam muitos distantes uns com os outros e só o Carpini não enxergava isso ou fazia isso propositalmente,porque em times menores,que ele treinou,tanto o água Santa,como o próprio juventude,não tinham estes buracos que sob seu comando tinha!

Falei por diversas vezes isso,mas mesmo eu sabendo que sempre tem alguém do clube que lê nossos comentários,talvez o mesmo,tbem não queria ficar buzinando no ouvido do carpa…

Com o Milton,ele fez apenas aquilo que o time precisava para melhorar o rendimento: juntos os jogadores,pediu para os jogadores do meio campo e ataque,se esforçarem em ajudar a defesa,não dando espaços para o adversário jogar!

Coisa simples que o Carpini insistia em não ver!

22/04/2024 04:49:52 Elizeu Pereira

Eu tenho a impressão de que Carpini não tem a menor noção de tática. com apenas dois treinos, Milton Cruz ajeitou o time. o que me intriga é, por que Milton e Muricy não orientaram o rapaz?

Enviar Comentário

Para enviar comentários, você precisa estar cadastrado e logado no nosso site. Para se cadastrar, clique Aqui. Para fazer login, clique Aqui.