publicidade

Falta de "catimba" e ausência de craque: ex-jogadores do São Paulo relembram a "dor" do vice da Copa do Brasil de 2000

  • Murilo Borges e Kaique Lopreto
  • 22 de set, 2023, 06:00
  • Facebook
  • Twitter
  • Facebook Messenger
  • Pinterest
  • e-mail
  • A derrota na final da Copa do Brasil de 2000 é uma das mais dolorosas da história do São Paulo . A perda do título acabou marcando uma geração de torcedores e também deixou feridas abertas em quase todo o elenco que esteve em campo naquela decisão.

    Vindo de um título do Campeonato Paulista em cima do rival Santos , o time comandado por Levir Culpi na época era formado por jovens jogadores em grande ascensão. A base da equipe titular era: Rogério Ceni; Belletti, Edmílson, Rogério Pinheiro e Fábio Aurélio; Maldonado, Vágner, Marcelinho Paraíba e Raí; Edu e França.

    Eliminando o rival Palmeiras nas quartas de final e o Atlético-MG na semfinal, este elenco conduziu o Tricolor para sua primeira final de Copa do Brasil da história. O adversário na decisão seria o Cruzeiro , que contava com atletas mais tarimbados como Sorín, Ricardinho, Geovanni, Oséas, Fábio Júnior e Muller.

    Após um empate sem gols na partida de ida no Morumbi, as equipes voltaram a se enfrentar o Mineirão para decidir o título. Com gol de Marcelinho Paraíba no segundo tempo, o São Paulo saiu na frente e, pelo critério do gol marcado fora de casa, poderia até empatar que levaria o caneco.

    Contudo, o Tricolor acabou sucumbindo nos 10 minutos finais. Fábio Júnior empatou o duelo aos 35 e, após erros de Axel e Rogério Pinheiro, Geovanni virou o placar com uma cobrança de falta perfeita aos 44. Deste modo, o troféu de campeão ficou com a Raposa.

    Para entender os bastidores desta derrota, o ESPN.com.br falou com jogadores daquele elenco do São Paulo e muitos deles citaram dois grandes motivos para o revés: a falta de experiência e a ausência de Vágner.

    “Faltou a gente segurar mais a bola na casa deles lá. Talvez seria outro resultado se a gente tivesse mais cadência. Na minha opinião, acho um pouco errada essa substituição, porque comigo e com o Marcelinho na frente, a gente era capaz de segurar mais a bola. E foi justamente com a minha ausência que o Cruzeiro começou a atacar e aconteceu aquela falta. Uma das maiores frustrações”, revelou o artilheiro França.

    Alexandre Rotweiller, que foi volante titular nos dois jogos da decisão, também citou a falta de ‘catimba’ como um dos motivos da derrota.

    “Faltou isso, uma catimba. A gente queria atacar a todo momento. Eu mesmo, como primeiro volante, peguei uma bola no meio-campo e dei uma arrancada de 60 metros. Eu poderia, ao invés disso, ter passado para o Marcelinho. São detalhes que fizeram a diferença para a gente não sair campeão”, detalhou.

    Vágner, que vinha sendo um dos destaques do São Paulo no ano e sendo cogitado até para a seleção brasileira, acabou ficando de fora da decisão. Por problema contratual e também por desentendimento com Levir Culpi , ele foi uma baixa inesperada do elenco que acabou sendo sentida por todo o elenco.

    “O Vágner vinha em um momento espetacular, fazia realmente a diferença. Uma ausência que nós sentimos bastante. Obviamente que dentro do elenco nós tínhamos peças de reposição para também seguir dando esse nível técnico, mas, evidentemente, quando você pega um jogador que vinha jogando todos os jogos e que tinha que fazer a diferença, você acaba notando”, analisou Edu.

    E a tristeza por não ter atuado na grande decisão é sentida até hoje por Vágner. O ex-volante revelou que se emociona quando fala sobre a polêmica saída do Tricolor em 2000.

    “Chorei muito junto com a minha mãe vendo esse jogo e até hoje me emociono ao falar sobre isso. Eles tiraram isso de mim, tanto o Paulo Amaral quanto o Levir. Eu poderia ter sido campeão da Copa do Brasil e ter feito parte da história. Tenho guardadas algumas entrevistas do Rogério Ceni, do Belletti e do Raí dizendo que não conquistaram o título pela minha saída”, desabafou.

    Agora, 23 anos depois, o São Paulo tem a chance de finalmente conquistar o título da Copa do Brasil. Após vencer o Flamengo no Maracanã por 1 a 0 , a equipe paulista pode até empatar que levantará o troféu. Caso perca por um gol de diferença, a disputa vai para os pênaltis.

    Próximos jogos do São Paulo:

  • Flamengo (C) - 24/09, 21h30 (de Brasília) - Copa do Brasil

  • Coritiba (C) - 27/09, 19h (de Brasília) - Brasileirão

  • Corinthians (C) - 30/09, 18h30 (de Brasília) - Brasileirão


  • VEJA TAMBÉM
    - Provável escalação do São Paulo para enfrentar o Internacional no Brasileirão
    - São Paulo Mantém postura firme e exige pagamento da multa por Galoppo
    - SECA DE GOLS! Atacante atravessa fase difícil sob comando de Zubeldía no São Paulo


    Receba em primeira mão as notícias do Tricolor, entre no nosso canal do Whatsapp


    Avalie esta notícia: 9 2

    Comentários (5)
    22/09/2023 14:57:43 Robhexa

    A classe do Vagner jogando, lembrava até o Redondo... Outro craque da época

    prata
    22/09/2023 13:37:43 2015_spfc

    Não tem nada decidido. Essa foi uma das piores derrotas do clube. Precisam continuar focados em vencer o flamengo.

    22/09/2023 09:47:39 Ozias Bezerra de pula

    Dinho Pintado Mineiro e Josué, esses eram volantes de verdade e Waquene, esses jogavam muito quando passaram pelo são paulo

    22/09/2023 08:04:09 Crtricolor1987

    VAGNER foi um dos melhores volantes que já vi jogar no São Paulo

    22/09/2023 07:21:09 Edynaldo Leite

    que sirva de lição pra domingo

    Enviar Comentário

    Para enviar comentários, você precisa estar cadastrado e logado no nosso site. Para se cadastrar, clique Aqui. Para fazer login, clique Aqui.