publicidade

Ex-árbitros divergem sobre pênalti marcado a favor do Corinthians

O UOL ouviu ex-árbitros que divergiram da marcação de pênalti a favor do Corinthians, em cima de Wesley, no fim do primeiro tempo do empate com o São Paulo, em 1 a 1, ontem, pela sexta rodada do Brasileirão.

José Aparecido de Oliveira, Guilherme Ceretta e Alfredo Loebling falaram com a reportagem e deram opiniões distintas. Ao sportv, Paulo César de Oliveira afirmou que não houve pênalti.

Depois de sair atrás no placar, o Corinthians empatou o jogo com um gol de pênalti, convertido por Roger Guedes nos acréscimos do primeiro tempo

Wesley invadiu a área pela esquerda e o árbitro marcou falta após uma disputa por espaço entre Rafinha e o atacante do Corinthians.

Os jogadores do São Paulo reclamaram muito da marcação, com Michel Araújo, por exemplo, dizendo que o Corinthians estava jogando com 12.

José Aparecido de Oliveira: "Trata-se de um lance de interpretação do árbitro, que neste caso marcou como deveria não ter marcado. Na minha opinião, o braço do Rafinha não tinha força suficiente para derrubar o atleta. Portanto, não deveria ser marcado o pênalti".

Alfredo Loebling: "O problema passa pela subjetividade da regra e da interpretação. A regra fala que usar o braço em busca de espaço e proteção é permitido, e ambos os jogadores usaram os braços nesta proteção. No final do lance há um movimento do Rafinha, de alavanca, que, em tese, empurra o jogador do Corinthians. À luz da regra, o árbitro não errou. O VAR não interveio porque concordou com a decisão de campo, então não há uma necessidade de chamar a arbitragem se você tem a mesma concordância da decisão de campo. O problema, a meu ver, é que deixar as coisas de forma subjetiva. E aí você tem argumentos para quem achou que foi pênalti, e argumentos a favor de quem não foi pênalti".

Guilherme Ceretta: "Me deixa preocupado esses tipos de marcações. Quero ver manter o critério. Alguém tem que vir a público explicar que a marcação foi errada, pra que eles possam "subir o sarrafo", ou vai ter que marcar pênalti igual esse em todos os jogos daqui pra frente. Sem contar que não marcou o que era pra marcar".

Paulo César de Oliveira: "Realmente tem esse contato do Rafinha com o Wesley, realmente tem o movimento de braço, mas, antes do braço do Rafinha, também tem o braço do Wesley. Eles estão disputando o espaço. O que a gente precisa analisar é: esse braço tem impacto suficiente para essa queda ou é um braço de referência, de disputado pelo espaço? Para mim, não houve o pênalti".

pic.twitter.com/uaSl5KxwXt


VEJA TAMBÉM
- São Paulo vence Atlético-GO e ganha pela primeira vez no Brasileiro
- Veja como assistir Atlético-GO vs São Paulo ao vivo
- Quatro treinadores recusaram proposta do São Paulo antes do acerto com Zubeldía


Receba em primeira mão as notícias do Tricolor, entre no nosso canal do Whatsapp


Avalie esta notícia: 23 0

Comentários (6)
16/05/2023 00:17:43 wilson carlos

a máfia das apostas devem ter molhado e muito a mão desse safado desse juizinho, resultado nitidamente fabricado por ele.

15/05/2023 20:46:15 Sergio Gandini

O pênalti não aconteceu, e anulou o gol do Calleri, enfim dois erros amadores deste juizinho boca de porco...

15/05/2023 19:19:03 Antônio Guimarães

essa mídia FDP sempre a favor das Gay-votas e também sempre contra o TRICOLOR.

15/05/2023 19:16:55 Misael Roberto

A imprensa é gambâs?

15/05/2023 15:51:18 F L G

Até o Paulo César de Oliveira, que é curintiano, falou que não foi pênalti.....

15/05/2023 15:03:39 OSoberano

Kkkkkkkkkkkk 3 falaram que não foi e 1 falou que foi

Ao invés da manchete ser maioria dos ex-árbitros diz que não foi pênalti, colocaram que ex-árbitros divergem

UOL lixo

Além de serem ajudados pelos juízes, os gambás ainda tem a imprensa passando pano

Enviar Comentário

Para enviar comentários, você precisa estar cadastrado e logado no nosso site. Para se cadastrar, clique Aqui. Para fazer login, clique Aqui.