publicidade

30 anos da conquista do terceiro título brasileiro

0 0 0
por Vidal Cavalcante/Agência Estado - Zetti, Antônio Carlos e Cafu com o troféu do Brasileiro de 1991

Dois anos antes, em 1989, bateu na trave. No ano seguinte, em 1990, novamente não deu. O Tricolor foi vice-campeão brasileiro nessas duas temporadas. O título tão almejado pela torcida teria que ser conquistado em 1991.



Telê Santana, que havia chegado ao São Paulo no decorrer do Brasileirão de 1990 e que levou o time à final desse campeonato – mesmo após o esquecível primeiro semestre, em que o clube terminou o Paulistão em 15º lugar –, acertou novo contrato com o clube, permanecendo à frente da equipe em 1991.


LEIA TAMBÉM: Ivan no São Paulo? Goleiro tem sondagens do Brasil e de fora


O elenco era praticamente o mesmo do semestre anterior, visto que o Brasileirão começou logo após ter sido finalizado o predecessor. Somente foram contratados dois novos atacantes: Rinaldo, que veio do Fluminense, e Macedo, revelação do Rio Branco de Americana, justamente para os lugares de Alcindo e Aguirre, que deixaram o Tricolor. Carrasco, meio-campista, também não renovou: para a posição, Telê apostou em “pratas da casa”.

O CAMPEONATO

O Brasileirão de 1991 foi disputado por 20 clubes, em sistema de todos contra todos em turno único, classificando-se os quatro melhores colocados para às semifinais, de forma eliminatória, com jogos de ida e volta. Os vencedores fizeram a final, também em duas partidas. A vantagem do empate, ou de resultados inversamente iguais, coube ao clube com melhor campanha acumulada.

Após uma curta pré-temporada no Paraná (em que obteve vitórias nos amistosos contra Apucarana – 1x0 –, e Foz do Iguaçu – 2x1), o Tricolor começou bem o campeonato, vencendo o Atlético Mineiro – que avançaria também à semifinal –, por 3 a 0, mesmo jogando no Mineirão! Mas nas cinco rodadas seguintes o São Paulo tropeçou três vezes, com derrotas para Flamengo (0x1, na Gávea), Santos (1x2, no Morumbi) e Náutico (1x2, nos Aflitos). A irregularidade, entretanto, acabou aí.

Raí, Müller e Macedo comandaram a reação são-paulina que deixou o clube invicto por 12 jogos (8 vitórias e 4 empates), só voltando a conhecer a derrota na última rodada da fase inicial do torneio (0x1 Internacional, no Beira Rio). Ainda assim, o Tricolor terminou essa etapa no primeiro posto, com 26 pontos – mesmo número do Bragantino, mas com duas vitórias a mais –, herdando a “vantagem do empate” no confronto semifinal contra o Atlético Mineiro.

Dito e feito. O São Paulo empatou os dois jogos contra os mineiros. A partida de ida acabou em 1 a 1, com o gol de Mário Tilico – o primeiro grande gol decisivo do ponta. Os tricolores atuaram com um jogador a menos por quase todo o jogo (Antônio Carlos havia sido expulso aos 16 minutos do primeiro tempo). Na partida de volta, 0 a 0, no Morumbi, e Tricolor na final!

Mas a classificação mediante dois empates teve um ônus. O Tricolor, que havia sido o melhor colocado durante o “turno”, foi superado na somatória de pontos da campanha geral pelo Bragantino, que chegou à final vencendo e empatando contra o Fluminense. A vantagem de dois empates, ou de dois resultados inversamente iguais, agora era do time do interior, que, aliás, decidiria a partida final em casa.

A DECISÃO

No Morumbi, com 67.759 pagantes presentes à primeira partida da final do Brasileiro de 1991, o Tricolor começou arrasador, desperdiçando duas boas oportunidades logo nos minutos iniciais, com Bernardo, que chutou em cima do goleiro Marcelo, e com Macedo, em lance incrível e após bela jogada de Raí. O atacante driblou o arqueiro, tranquilamente, mas arrematou na trave!

Aos 27 minutos ocorreu o fato que decidiria o título: Mário Tilico, o talismã, entrou no lugar de Elivélton, contundido. A primeira etapa, entretanto, acabou da mesma forma que começou – 0 a 0 –, com o Bragantino controlando melhor o meio de campo e impedindo a velocidade dos ataques de Müller, Macedo e Tilico. Na verdade, até perdendo chances claras de gol, salvas por Zetti e Ricardo Rocha, este, em cima da linha.

A fase complementar se deu como o início do primeiro tempo, com o Tricolor dominando e partindo para cima. A defesa bragantina ruiu e sucumbiu à pressão aos quatro minutos. Bola no alto da área do ataque são-paulino e Bernardo cabeceou no travessão. Müller tentou o voleio, mas a bola passou direto, chegando aos pés certeiros de Mário Tilico, que estufou as redes com força – mandando a bola junto ao pé da trave direita do goleiro –, marcando o gol que daria a vitória ao São Paulo. A comemoração esfuziante de Mário Tilico refletiu a sensação de que aquele seria o gol do título!

Vale salientar que até o momento da realização da primeira partida da decisão ainda não estava definido o local do segundo embate. Por fim, ficou decidido que o confronto final seria mesmo no acanhado Estádio Marcelo Stéfani – atual Nabi Abi Chedi. Apesar de contar com a torcida rival quase dentro do campo, os jogadores tricolores não se intimidaram. Sem Elivélton, contundido, Telê avançou Cafu para meia-direita e colocou Zé Teodoro na lateral, não permitindo que o Bragantino encontrasse espaço para jogar. Curiosamente, a decisão de atuar em um campo pequeno em nada ajudou ao time da casa.

Na realidade, as melhores chances do jogo foram do Tricolor. Aos 11 minutos do primeiro tempo, Cafu lançou Zé Teodoro, que chutou forte. No rebote do goleiro, Leonardo cruzou para Bernardo cabecear na trave e Müller arrematar a sobra por cima do gol. O Bragantino somente rompeu a fortaleza são-paulina aos 30 minutos do segundo tempo, quando Luiz Müller chutou, Zetti rebateu e Sílvio quase marcou no rebote. Perto do fim do jogo (44min.), a pá de cal nas pretensões bragantinas veio após o belo lançamento de Raí para Flávio, que da entrada da área chutou forte e no travessão!

Mas nada a lastimar. Ao apito final do árbitro José Roberto Wright, o São Paulo Futebol Clube se sagrou Campeão Brasileiro de 1991 – então o terceiro título nacional do Tricolor do Morumbi! –, feito que abriu os portões de uma nova e inesquecível era vencedora sob comando de Telê Santana, que culminaria com a conquista do mundo por dois anos consecutivos!

O JOGO DO TÍTULO

09.06.1991
Bragança Paulista (SP)
Estádio Marcelo Stéfani
Clube Atlético BRAGANTINO 0 X 0 SÃO PAULO Futebol Clube

CAB: Marcelo; Gil Baiano, Júnior, Nei (capitão) e Biro Biro; Mauro Silva, Ivair (Luiz Müller), Alberto e João Santos (Franklin); Mazinho e Silvio. Técnico: Carlos Alberto Parreira.



SPFC: Zetti; Zé Teodoro, Antônio Carlos, Ricardo Rocha e Leonardo; Ronaldão, Bernardo, Cafu e Raí (capitão); Macedo e Müller (Flávio). Técnico: Telê Santana.

Árbitro: José Roberto Ramiz Wright
Renda: CR$ 64.650.000,00
Público: 12.942 pagantes


A CAMPANHA

Primeira Fase
02.02.1991 – 3 X 0 – Clube ATLÉTICO MINEIRO (MG)
06.02.1991 – 0 X 1 – Clube Regatas do FLAMENGO (RJ)
17.02.1991 – 1 X 2 – SANTOS Futebol Clube (SP)
23.02.1991 – 1 X 0 – FLUMINENSE Football Club (RJ)
03.03.1991 – 2 X 1 – Clube ATLÉTICO PARANAENSE (PR)
06.03.1991 – 1 X 2 – Clube NÁUTICO Capibaribe (PE)
09.03.1991 – 1 X 0 – Esporte Clube BAHIA (BA)
16.03.1991 – 1 X 1 – GOIÁS Esporte Clube (GO)
22.03.1991 – 2 X 0 – GRÊMIO Foot-Ball Porto Alegrense (RS)
31.03.1991 – 2 X 1 – Clube Atlético BRAGANTINO (SP)
04.04.1991 – 0 X 0 – Sociedade Esportiva PALMEIRAS (SP)
07.04.1991 – 1 X 1 – Sport Club CORINTHIANS Paulista (SP)
14.04.1991 – 1 X 0 – Associação PORTUGUESA de Desportos (SP)
20.04.1991 – 2 X 2 – Club de Regatas VASCO DA GAMA (RJ)
28.04.1991 – 2 X 0 – SPORT Clube do RECIFE (PE)
01.05.1991 – 2 X 1 – Esporte Clube VITÓRIA (BA)
05.05.1991 – 1 X 0 – BOTAFOGO de Futebol e Regatas (RJ)
12.05.1991 – 3 X 1 – CRUZEIRO Esporte Clube (MG)
18.05.1991 – 0 X 1 – Sport Club INTERNACIONAL (RS)
Semifinais
25.05.1991 – 1 X 1 – Clube ATLÉTICO MINEIRO (MG)
02.06.1991 – 0 X 0 – Clube ATLÉTICO MINEIRO (MG)
Finais
05.06.1991 – 1 X 0 – Clube Atlético BRAGANTINO (SP)
09.06.1991 – 0 X 0 – Clube Atlético BRAGANTINO (SP)





conquista, terceiro, título, brasileiro

VEJA TAMBÉM: Com estiramento na coxa, Luciano pode desfalcar o São Paulo por até três semanas

CONFIRA: Números despencam no Brasileiro, e São Paulo liga alerta














Avalie esta notícia: 5 0

Comentários (3)

ouro
09/06/2021 15:03:56 Lemonz

Bons tempos, quando o futebol brasileiro ainda era forte e tínhamos os melhores talentos nacionais jogando nos nossos gramados.

Até dava pra assistir um jogo da selixão quando 7 ou 8 dos jogadores convocados eram do tricolor. Hj não mais.

09/06/2021 12:26:18 Filipe Vasconcelos Sacca

Pra ter ideia de como o futebol brasileiro era mais forte 30 anos atrás... 2 jogadores do bragantino e 7 SPFC que estavam nesse jogo foram campeões da copa de 94

09/06/2021 12:17:36 Terrier

Eu estava lá nos dois jogos;

Enviar Comentário

Para enviar comentários, você precisa estar cadastrado e logado no nosso site. Para se cadastrar, clique Aqui. Para fazer login, clique Aqui.
  • publicidade
  • + Comentadas Fórum

  • publicidade
  • Fórum

  • Próximo jogo - Brasileiro

    Qua - 19:00 - -
    São Paulo
    São Paulo
    Cuiaba
    Cuiaba

    Último jogo - Brasileiro

    Dom - 18:15 - Urbano Caldeira
    https://media.api-sports.io/football/teams/128.png
    Santos
    2 0
    X
    São Paulo
    São Paulo
    Calendário Completo
  • publicidade
  • + Lidas

  • publicidade
  • Untitled Document
    Classificação
    1 Bragantino
    2 Atletico Paranaense
    3 Fortaleza EC
    4 Palmeiras
    5 Atletico Goianiense
    6 Atletico-MG
    7 Flamengo
    8 Fluminense
    9 Bahia
    10 Santos
    11 Corinthians
    12 Ceará
    13 Internacional
    14 Juventude
    15 Sport Recife
    16 Cuiaba
    17 Chapecoense-sc
    18 São Paulo
    19 America Mineiro
    20 Grêmio
    P J V E D GP GC SG ÚLT. JOGOS
    14 6 4 2 0 16 9 7 EEVVV
    12 4 4 0 0 7 1 6 VVVV
    11 6 3 2 1 10 5 5 VVEED
    10 6 3 1 2 10 7 3 VEVVD
    10 5 3 1 1 5 2 3 VVEDV
    10 5 3 1 1 5 3 2 DVVVE
    9 4 3 0 1 7 4 3 VVDV
    9 6 2 3 1 5 4 1 VEVED
    8 5 2 2 1 8 5 3 VEDVE
    7 5 2 1 2 5 5 0 DVEDV
    5 5 1 2 2 3 4 -1 DVEDE
    5 5 1 2 2 6 8 -2 VDEDE
    5 5 1 2 2 5 9 -4 EDVDE
    5 5 1 2 2 3 8 -5 EDEDV
    4 5 1 1 3 3 5 -2 EDDVD
    3 4 0 3 1 4 5 -1 EDEE
    3 5 0 3 2 3 8 -5 DDEEE
    3 6 0 3 3 3 8 -5 DDEDE
    1 5 0 1 4 1 6 -5 DDDED
    0 3 0 0 3 2 5 -3 DDD
    Libertadores Pré-Libertadores Sul-Americana Rebaixados
    vitoria empate derrota
24/06/2021 14:37:46