publicidade

Torcedor do São Paulo foi vítima de disparo de arma de fogo, divulga atestado de óbito

A família de Rafael Garcia, torcedor do São Paulo morto no último domingo (24) após a final da Copa do Brasil , divulgou o atestado de óbito do jovem nesta terça-feira (26). Segundo consta no documento, o são-paulino foi vítima de disparos de arma de fogo. A informação foi dada inicialmente pelo 'G1'.

A Secretaria de Segurança Pública (SSP) informou que Rafael Garcia, de 32 anos, foi encontrado com um ferimento na cabeça em meio ao confronto entre torcedores do São Paulo e a Polícia Militar momentos após o título inédito do clube na Copa do Brasil. A confusão ocorreu ainda no entorno do Morumbi e, segundo testemunhas, os agentes estavam agindo com violência e recorrendo a agressões contra os tricolores - impedido o socorro à vítima.

Rafael Garcia foi velado na manha desta terça-feira (26), no Cemitério de Itapevi, na Grande SP, sob protestos de amigos e membros de organizadas do São Paulo, que exibiram faixas pedindo investigação rigorosa do crime. A vítima tinha deficiência auditiva e, inclusive, integrava a ala inclusiva: "Surdos e Mudos tricolores" - da TO Independente.

+ Cupom LANCEFUT com 10% OFF para os fanáticos por esporte em compras acima de R$299,90

A versão da polícia esclarece que a confusão ocorreu devido a um tumulto provocado por torcedores que tentaram invadir uma área restrita. Ao ser impedido pelos agentes, o grupo de tricolores arremessou garrafa e pedra na direção dos policiais. Em nota, a SSP afirmou que a PM-SP estabeleceu efetivo com apoio de batalhão e cavalaria para garantir segurança de torcedores e moradores da região do Morumbi.

A polícia afirma que as intervenções foram feitas por meio de técnicas de menor potencial ofensivo, como jatos d'água por exemplo. Oito agentes ficaram feridos no confronto com torcedores.

Garanta a sua vaga no curso que Pet, Dante e outros craques da bola participaram também. Cupom: LANCE400

O caso foi registrado como 'promover tumulto e homicídio' na DRADE (Delegacia de Polícia de Repressão aos Delitos de Intolerância Esportiva) e está sendo investigado pelo Departamento de Homicídios e Proteção à Pessoa - DHPP.


VEJA TAMBÉM
- Corinthians e São Paulo: informações e prováveis escalações para o clássico brasileiro
- Veja a provável escalação do São Paulo para o Majestoso
- Thiago Mendes vai conversar com Zubeldía, neste sábado


Receba em primeira mão as notícias do Tricolor, entre no nosso canal do Whatsapp


Avalie esta notícia: 0 6

Comentários (5)
27/09/2023 11:01:45 José Raimundo de Jesus SOUZA

por estas e outras q não dá mais pra ir torcer em estádios, não tem segurança e quem deveria proteger-nos é quem comete o crime ,como pode?!

27/09/2023 08:12:03 claudio rodrigues

Mas pq arma de fogo, acabou a borracha, acabou a água? despreparo da Polícia como sempre.

27/09/2023 07:57:41 Diego Ferrenha

Lamentável, tudo lamentável, tanto a policial quanto a torcida, ate quando os bandidos que se dizem torcedores vão ficar comtendo crimes e desacatando a polícia? E sobre a policia mais do mesmo, não todos, acredito ate que seja minorias dentro polícia amas sao pessoas sem carater que se escondem atras da farda e corruptos são. Lamentavel mesmo....

26/09/2023 20:12:53 Lobinho Negrinho

complicado!

prata
26/09/2023 19:08:58 Wesley.BH

Justiça

Enviar Comentário

Para enviar comentários, você precisa estar cadastrado e logado no nosso site. Para se cadastrar, clique Aqui. Para fazer login, clique Aqui.