publicidade

Do banco para o êxito: talismãs ajudam São Paulo de Dorival em sequência invicta

Em sete de 11 jogos, os reservas da equipe marcaram e ajudaram Tricolor a conquistar pontos

Foto: Lance!

O banco de reservas se tornou um verdadeiro talismã para o São Paulo de Dorival Júnior. Nos últimos onze jogos, sete contaram com gols de atletas que começaram a partida entre os suplentes. De acordo com um levantamento do LANCE!, em média, os reservas são-paulinos precisam de 20 minutos para marcar depois que entram em campo.

Nesta quinta-feira (1), o São Paulo enfrenta o Sport no estádio do Morumbi, pelas oitavas de final da Copa do Brasil. A equipe chega tranquila para o jogo, graças à vantagem de dois gols - após a vitória por 2 a 0 na Ilha do Retiro, no jogo de ida. Os dois gols da classificação saíram do banco de reservas: com Luciano e Marcos Paulo.

Os dois entraram praticamente juntos, Luciano aos 23 do segundo tempo e Marcos Paulo aos 24 minutos da etapa final. O camisa 10 precisou somente de quatro minutos para marcar. Já o camisa 32 precisou de aproximadamente 21 para fechar o placar.

Sobre Marcos Paulo, desta sequência de onze jogos, já foram três partidas que o jogador saiu do banco e balançou as redes. No caso, contra o América-MG (na vitória por 3 a 0), no empate com o Coritiba (que terminou em 1 a 1) e no jogo citado anteriormente, contra o Sport.

Além de Marcos Paulo e Luciano, Wellington Rato, Juan, Alisson e David também entram na lista. Alisson, inclusive, marcou seu primeiro gol da temporada neste estilo, quando entrou na volta do segundo tempo contra o Puerto Cabello e balançou as redes após cerca de 46 minutos em campo.

Wellington Rato também se destaca na lista de "gols decisivos que saíram do banco". Contra o Ituano, pela terceira fase da Copa do Brasil, garantiu a classificação da equipe quando marcou o único da partida e com apenas dois minutos em campo.

Além deste gol, também deu uma assistência importante para Beraldo, na vitória por 4 a 2 contra o Vasco, pelo Brasileirão - também começando entre os suplentes. Juan também marcou neste jogo, com cerca de 14 minutos em campo, ao entrar aos 13 minutos do segundo tempo.

David balançou as redes contra o Goiás, no duelo mais recente do Tricolor. Chamou atenção porque foi seu primeiro jogo após retornar de lesão e bastou cinco minutos para desempatar o placar e garantir a vitória por 2 a 1 da equipe.

Esta sequência de gols marcados por reservas está sendo contabilizada desde a estreia de Dorival, contra o América-MG, o que chama mais atenção ainda quando praticamente 60% dos jogos contou com suplentes sendo vistos como talismãs e até mesmo garantindo classificações.

Dorival Júnior, por diversas vezes, sempre revela que trata com cuidado a questão envolvendo os desgastes da equipe. Muito disso se reflete ao fato de peças importantes para o elenco tricolor começarem algumas partidas no banco de reservas. Inclusive, após a vitória contra o Vasco, o treinador trouxe a questão envolvendo o calendário complicado à tona.

- Nós podemos nos preparar porque este ano teremos um Campeonato Brasileiro mais disputado do que nos últimos anos. Tudo muito igual, equipes se desgastando consideravelmente. Está difícil manter e equilibrar, mesmo assim a equipe vem tentando encontrar um padrão. Temos mudado nomes e posições, mas sempre estamos se mantendo firmes - disse na ocasião.

Rafinha, um dos veteranos do time e capitão, exaltou o fato dos atletas que estão saindo do banco resolverem boa parte dos jogos. Nos bastidores após a vitória mais recente da equipe, o São Paulo mostrou uma gravação com uma conversa que o lateral teve com o restante do time ainda no vestiário e citou justamente este ponto.

- Em todos os jogos estamos vendo. Quem entra no jogo, está resolvendo. Todo mundo está vendo. Quem saí do banco resolve para nós. E o porquê disso? Todo mundo está preparado. Quem está vindo de fora. Coloquem na cabeça, fiquem ligados ao que está acontecendo no jogo, onde está a jogada e aí quando entrar faz o que vocês estão fazendo em todos os jogos - disse Rafinha.

Luciano atinge marca como "artilheiro substituto"

Luciano atingiu mais uma marca com a camisa do São Paulo. Desta vez, como "maior artilheiro do banco de reservas", ocupando agora o posto que antes pertencia ao ex-jogador França, um dos maiores ídolos do Tricolor.

A informação foi levantada pelo historiador são-paulino Alexandre Giesbrecht, do "Anotações Tricolores". E o camisa 10 conseguiu isso graças ao gol que marcou contra o Sport, pelo jogo de ida das oitavas de final da Copa do Brasil.

O camisa 10 ultrapassou a marca de França. Antes estava empatado com o histórico camisa 9, que defendeu o Tricolor entre 1996 e 2002, com doze gols. Agora, por conta do tento contra a equipe nordestina, chegou a 13 gols nessas circunstâncias.


VEJA TAMBÉM
- OUTRA DERROTA! São Paulo atua mal outra vez e é goleado pelo Vasco em São Januário
- Provávele escalação do São Paulo para enfrentar o Vasco no Brasileirão
- PRÓXIMO CONFRONTO! Veja o histórico do confronto entre Vasco e São Paulo


Receba em primeira mão as notícias do Tricolor, entre no nosso canal do Whatsapp


Avalie esta notícia: 15 0

Comentários (4)
01/06/2023 15:02:29 MarcosYuji

Tem q ser assim msm, pois jogador descansado precisa entrar com o dobro da disposição. Mas estão de parabéns pelo bom desempenho

01/06/2023 13:24:09 Alexandre silva

o Rogério Ceni e igual jogador da base que está doido para jogar na Europa quer ser a estrela do time mesmo no banco

01/06/2023 12:40:29 Natanael Alfredo Alfredo

a verdade é nem os jogadores aguentavam mais Rogério Ceni só não podiam falar pra não se queimar mas essa e a verdade Dorival e bem mais humilde

01/06/2023 08:24:16 Sergio Gandini

Está tudo muito bom. O São Paulo ganhando que é o mais interessante, todos unidos com um só objetivo TÍTULO ser CAMPEÕES, está gostoso assistir o nosso amado TRICOLOR...

Enviar Comentário

Para enviar comentários, você precisa estar cadastrado e logado no nosso site. Para se cadastrar, clique Aqui. Para fazer login, clique Aqui.