publicidade

Veja a carta que Miranda escreveu: Aqui é Meu Lugar

Já me falaram que eu não ia conseguir jogar de chuteira.



Já me dispensaram por engano.

Já desisti de ser jogador e me conformei em bater bola na escola.

Já fui embora do clube que eu amo contando os dias para revê-lo.

Mas, depois de virar ídolo na Europa e jogar Copa do Mundo, finalmente estou de volta ao lugar onde sempre quis estar.

Muita coisa aconteceu no meio do caminho… Então, deixa eu te contar um pouco mais da minha história. E pega a faixa de campeão.


Eu tinha oito anos quando meu irmão morreu. Ele se chama Vicente, mas seu apelido era Pio. Ele que me levava pra várzea desde quatro, cinco anos... Minha felicidade era ver o Pio jogar. Isso foi o que me inspirou a gostar de futebol. Eu queria ser igual a ele.

Cresci querendo ser igual ao meu irmão.

Ele foi campeão amador, era bastante conhecido lá no interior do Paraná. Todo mundo fala: “Pô, você parece com o Pio, você jogando parece com o Pio”.

Outros dizem: “Ah, mas o irmão dele era melhor!”.

Realmente, meu irmão era melhor que eu. Um verdadeiro craque.


Miranda Sao Paulo
Sam Robles
O sonho do Pio, que era ajudar nossa família, acabou se tornando o meu. Afinal, ele tomava conta da gente.

Lembro até hoje da minha mãe chorando no velório: “E agora, como é que eu vou fazer para sustentar toda essa família?”. Uma imagem muito triste, principalmente para um garoto que tinha acabado de perder sua principal referência. Mas, ao mesmo tempo, o choro dela me fez entender desde cedo o tamanho da minha responsabilidade.

Eu sou o décimo segundo filho e perdi o pai novo também. Quando vi minha mãe desesperada daquele jeito, dei um abraço nela e fiz uma promessa:

“Mãe, tranquila, eu vou tomar conta da família.”

Minha mãe sempre foi faxineira, trabalhava de segunda a sábado pra dar o que comer para nossa família. Então, meu objetivo era sair de casa para ser uma boca a menos, dar menos trabalho e um futuro melhor para ela. Era isso que me motivava desde que comecei a jogar bola, mesmo sendo o filho caçula.

Todo dia eu acordava e sabia que precisava me dedicar ao máximo.

Tenho uma família para criar, pensava.

No jogo eu tinha que ser o melhor, porque carregava mais onze irmãos comigo.

O sonho maior não era jogar na Seleção. Sempre foi dar uma condição melhor pra minha família. E eu consegui. Dei uma casa para cada irmão, uma casa para minha mãe. Para mim, isso, sim, é a realização da vida.

Tudo bem que quando fui convocado pra Copa, rapaz... Eu liguei pra todo mundo! Meus amigos, minha família, todo mundo que gostava de mim. Pra mostrar como eu estava feliz! E eu via a felicidade do pessoal.

Eles diziam: “Você é o cara, você conseguiu”.


Miranda Brasil Copa do Mundo
Michael Steele/Getty Images
Verdade, eu consegui. Mas sabe onde tudo começou? Nas ruas de Paranavaí.

Eu era sempre o menino que jogava bola na rua. O pessoal falava que eu teria dificuldade de colocar chuteira, porque só brincava descalço. Mas, na primeira vez que eu ganhei uma, fui testar num campinho do bairro. Pisei na grama e logo vi que tava em casa. Mais fácil que andar de bicicleta.

A partir dali eu já saí para fazer teste em tudo quanto é canto. Santos, Guarani, Juventus da Mooca... No Juventus aconteceu uma coisa engraçada: os caras me dispensaram errado. Pode um negócio desses?

Eu estava me destacando no treino, jogando bem e tal, só que tinham dois João Miranda fazendo teste. Acaba a peneira, o treinador vira pra mim e dá o resultado:

João Miranda, dispensado!

Peguei minhas coisas, montei no ônibus e fui embora. No meio do caminho, eles ligam pra eu voltar, dizendo que tinham se enganado. Me confundiram com o outro João Miranda. E o cara nem zagueiro era… Hahaha.

Pediram desculpa pelo erro e disseram que realmente viram talento em mim. Eu tinha treinado muito bem. Mas foi vergonhoso ter sido dispensado daquela forma. Bateu uma tristeza e resolvi seguir viagem.

Foi uma longa estrada até me firmar no Coritiba. O clube abriu mão de mim na época de infantil. Acharam que não valeria a pena investir num jogador tão novo. Eu dei uma desanimada. Passei a brincar só nas peladas da escola e jogos estudantis. Mas aí lembrei da minha família. Da missão que eu tinha herdado do Pio.

Eu não poderia desistir. Por eles!

Então, quando eu percebi que minha única ambição era ser jogador e meus familiares não podiam me acompanhar, eu viajava sozinho mesmo. Montava no ônibus e ia atrás do meu sonho. Às vezes, tinha alguém esperando na rodoviária. Às vezes, eu tinha que pegar táxi ou ir a pé até o alojamento. Era difícil, porque minha mãe chorava toda vez que eu ia embora. Ela não queria que eu fosse jogador, porque a gente fica longe da família, né? Mas eu sempre jurava que voltaria.

“Estou indo pra te dar um futuro melhor.”

Se eu falo que vou voltar...

Mas, calma, ainda não é hora de falar do São Paulo.

A jornada pelo mundo do futebol foi bem mais extensa do que eu imaginava.


Quando saí do São Paulo e fui pro Atlético de Madri, tive a felicidade de ter o Simeone como treinador. Ele foi um cara que me ensinou bastante.

Mas, no começo, era foda.

Primeiro jogo no banco, segundo jogo no banco... Aí já fui conversar com ele.

“Peraí, eu tô aqui para ser titular. Para ser o dono da posição.”

Daí ele falou algo que me pegou de surpresa: “De acordo com o que você está treinando, você não é meu titular, porque eu mal te conheço”.

Ele sabia que eu jogava no São Paulo, que fui campeão, mas explicou que, pelo que via no treino, eu não tinha condição de ser titular do time dele.

“Meu time é guerreiro, que briga por cada bola, que treina bem.”

O cara era muito exigente, mas não me conformei com aquela desculpa: “Eu sou jogador de jogo, não sou jogador de treino. Se me colocar no jogo, eu vou dar a resposta que você quer.”

Ele prometeu que eu teria minha oportunidade. Coincidência ou não, um jogador foi suspenso, e então surgiu a chance de iniciar entre os 11.

Antes da partida, o Simeone me chama: “Você pediu sua oportunidade e ela chegou. Se você for o jogador que tanto fala, vai ter que demonstrar agora, no jogo.”

E aí eu joguei pra caralho!

No outro dia, reunião com o time inteiro, e o Simeone pede a palavra:

“O único jogador que eu admito treinar mais ou menos é o Miranda, que eu sei que ele vai dar a resposta no jogo. O resto tem que treinar bem.”


Miranda Rogerio Ceni Sao Paulo
MAURICIO LIMA/Getty Images
No almoço, ele sentava sempre no mesmo lugar. Todo mundo já se posicionava ao redor dele pra receber informação. Era para o jantar durar 20 minutos, mas demorava uma hora, uma hora e meia, porque ele ficava conversando com a gente. Era um cara que queria vencer, e me dava muita confiança.

“Miranda, você joga pra caralho. Você é melhor que todos os adversários que vai enfrentar.”

Pô, era o Rogério Ceni, o cara mais respeitado do São Paulo, um cara histórico.

Só que o meu começo não foi fácil. Fiquei os três primeiros jogos no banco, bravo... Conversava com o Milton Cruz, dizia que eu queria jogar, tava louco pra vestir a camisa, e ele mandava eu ter paciência.

O Rogério não apoiou minha permanência. Ele exigiu minha permanência.

- Miranda
Aí teve um jogo que o Edcarlos tomou o terceiro cartão. Foi a brecha que eu precisava para entrar no time e não sair mais.

O São Paulo era o clube da moda, onde todos os jogadores queriam jogar. Uma competitividade enorme. Então, você tinha que continuar melhorando, senão vinha outro e pegava o seu lugar. A gente não podia vacilar. E o Muricy sempre cobrava no dia a dia.

“O que vocês fizeram é passado! Vocês têm que continuar no presente, vocês têm que estar bem!”, ele dizia.

De verdade? Foi isso que fez com que a gente ganhasse os três Brasileiros seguidos.

Vou falar pra vocês: no último, em 2008, a gente estava a 10 ou 12 pontos do Grêmio, que era líder, e empatamos fora com eles. Primeiro jogo do returno.

No dia seguinte, no café da manhã, o Hernanes chegou e apontou pra cada um:

Bom dia, campeão brasileiro!

Bom dia, campeão brasileiro!

Bom dia, campeão brasileiro!


Hernanes Miranda Sao Paulo
Rubens Chiri/São Paulo FC

Nesse instante, a gente começou a acreditar que ainda dava. Botamos o pé no acelerador e fomos em busca de tirar a diferença de pontos. Toda vez que a gente chegava no portão do Morumbi, a torcida nos recebia gritando “o campeão voltou, o campeão voltou”. Os adversários foram ficando com medo, e nós conseguimos ganhar mais um Brasileiro pelo São Paulo.

Eu sempre ficava arrepiado quando gritavam meu nome no Morumbi. Não tem como. Escutava aquilo e pensava que tinha de correr mais por eles, eu tinha de lutar mais por eles! Porque eles merecem… Eles merecem ter esse momento de alegria.

Se você faz o seu time ganhar, você mexe com um milhão de sentimentos. A gente dorme tranquilo sabendo que o são-paulino vai ter uma segunda-feira leve. Primeiro dia da semana, normalmente, o pessoal vai trabalhar meio puto, mas, quando o São Paulo vence, nossos torcedores vão felizes.

Então, você tem que tirar algo mais, do fundo da alma, para dar essa felicidade à sua gente. Quando ouvia o grito de “MI-RAN-DA!” no Morumbi, 70.000 gritando meu nome, eu me sentia um super-herói, cara.

Feche os olhos, imagine essa cena, tente se colocar na minha pele… Posso te garantir: não existe nada comparável a essa sensação!

Quase ninguém sabe, mas, antes de sair, em 2011, meu pensamento era permanecer e fazer história no clube. Eu até fiz uma proposta pedindo um contrato para ficar. Foi muito difícil trocar o São Paulo. Só que eu entendi que era um momento de renovação. Mas, seja no Atlético, na Inter ou na China, eu sempre mantive a mesma certeza: “Um dia eu vou ter que voltar”.

No primeiro contato da diretoria, a emoção pelo retorno tomou conta de mim: Pô, vou voltar pro meu São Paulo.


Miranda The Players Tribune texto Sao Paulo
Sam Robles
Assim que fui contratado, perguntei ao Muricy qual São Paulo eu iria encontrar.

“Se eu estou aqui, é porque você vai encontrar um São Paulo batalhador, um São Paulo que vai lutar por título, meu filho.”

“Então é isso que eu quero.”

Se o São Paulo fosse um clube que estivesse sendo campeão de tudo, eu me daria por satisfeito e continuaria torcendo de longe. Mas era um São Paulo que precisava de mim. Não tinha como dizer “não”.

O São Paulo precisa de mim, e eu preciso do São Paulo.

Esse clube tem de estar no lugar onde sempre esteve, entre os melhores. Por isso que eu decidi dormir no centro de treinamento. Eu falei pra minha esposa ter paciência em casa, porque eu precisava focar. Quero voltar a ser o melhor zagueiro do Brasil. Quero retribuir tudo que o São Paulo já me deu.

Foram dois meses dormindo no CT para eu chegar ao meu nível ideal. Na primeira semana, eu terminava o treino acabado, achando que não aguentaria. Mas aí, nessa hora, eu ia pra academia treinar um pouco mais.

Penso o seguinte: eu tenho de ser o cara que vai puxar a fila. Preciso mostrar minha entrega aos garotos que estão subindo. Eu quero que eles enxerguem isso.



Miranda vestiario Sao Paulo
Rubens Chiri/Divulgação

Tenho que treinar sempre um pouco mais, porque eu preciso estar à frente dos outros, eu preciso ser melhor que eles. Porque meus companheiros precisam de mim. E, toda vez que precisarem de mim, eu tenho de estar melhor que eles.

Para mim, o pessoal do clube faz parte da minha família. Tenho uma forte amizade não só com os jogadores, mas com todos os funcionários do CT. Chegar de volta e receber o abraço deles foi muito significativo.

Quando você retorna a um clube onde já foi campeão, rola aquela desconfiança. Normal… Que Miranda vai voltar? Passados cinco meses, digo com total convicção, como se estivesse olhando nos olhos de cada torcedor do São Paulo:

Eu sou o mesmo Miranda.

O menino que jogava bola descalço na rua e queria ser igual ao irmão.

O irmão do Pio.

O Miranda que ainda sente a mesma adrenalina ao chegar no portão do Morumbi. Que vestiu a braçadeira para ajudar o clube a ser campeão novamente depois de quase 10 anos.



Miranda campeao Sao Paulo
Rubens Chiri/Divulgação
Não precisa me agradecer. Eu voltei pra isso. E o desafio está só começando. Ainda temos muito que fazer.

Às vezes, parece que eu nunca fui embora. O São Paulo é minha casa. Aqui é meu lugar.

Dessa vez, voltei para ficar. Acima de tudo, para conquistar mais títulos com essa camisa.



A história continua.


Autografo Miranda Sao Paulo

VEJA TAMBÉM
- BEM -VINDO DE VOLTA! Tricolores comemoram retorno de James Rodrigues
- ELE FALOU ISSO? Pato dá declaração polêmica sobre segunda passagem no tricolor
- ELE VOLTOU! Jornalista revela situação de James Rodrigues, após o retorno


Receba em primeira mão as notícias do Tricolor, entre no nosso canal do Whatsapp


Avalie esta notícia: 319 14

Comentários (66)
09/08/2021 11:57:37 madmax800

Merece a selecao

06/08/2021 12:13:16 wilbapjr

MIRANDA :10
ZÉ DO BATUQUE: 0

06/08/2021 12:12:20 wilbapjr

Caráter... Seriedade... Profissionalismo...
Jogador Diferenciado... MONSTRO SAGRADO.

bronze
06/08/2021 09:31:05 Hatsune

Foto pesadíssima. Ainda mais com o Benítez ali no fundo tirando uma selfie:

06/08/2021 08:53:10 Digoesol_SPFC

MI-RAN-DA MONSTRO, Emocionante História de vida que serve de exemplo e inspiração para alguns jogadores qu fazem corpo mole e principalmente para a mulecada. Por mais Jogadores como o Miranda no São Paulo

bronze
06/08/2021 08:22:15 ZugTri

Gigante. Fora de campo sempre um exemplo de trabalho e humildade, dentro de campo monstro, sem duvida, um dos melhores. Nunca vou esquecer a eliminaçao pra Belgica em 2018, infelizmente ninguem fala pq perdemos, mais o Miranda jogou muito aquele jogo, pra mim o melhor em campo pelo Brasil, ganhou todos duelos com o Lukaku, principalmente no segundo tempo quando a seleçao foi pro tudo ou nada e ele ficou varias vezes no mano a mano. Enfim, só mais uma historia desse gigante irmao do Pio, um exemplo pra familia dele e pra nossa....Deus te abençoe Joao Miranda....eterno Miranda.

06/08/2021 06:21:20 Leandro Fernando Ramos

Sem comentario a historia do miranda exemplo a ser seguido superacao mas amor a quem veste manto tricolor siga exemplo de miranda

06/08/2021 00:32:40 Otavio Teixeira Souza

Obrigado Miranda

06/08/2021 00:00:46 Marcio Guedes

Cara que orgulho de ser são-paulino e ler isso . Obrigado Miranda ??

05/08/2021 23:55:11 Cleber Silvano

Caramba eu já era fã desse cara e depois de lê essa carta confesso , me emocionei .Miranda é uma lenda viva

05/08/2021 23:54:08 Marlon Miranda

Monstro sagrado, obrigado Miranda manto fo SP é pele pra vc!!!

05/08/2021 23:33:07 joao francisco pimenta

Sua história conheço desde o começo, vc eh monstro na zaga, mereçi td nosso respeito, vc com está história, mereçi muito mas, que Deus abençoe sua vida e conquiste mas títulos pelo nosso tricolor amado, parabéns Miranda por ter escolhido sua casa para voltar a jogar como sempre jogou

05/08/2021 23:32:22 Leo Rodrigues Rodrigues

Eu desconfiei de vc Miranda. Mas minha desconfiança sempre foi na parte física, nunca técnica e nem de vontade ou raça. Primeiro me desculpe, vc é um Monstro do futebol. Deve ser reverenciado por nós torcedores desse grandioso clube, sempre, sempre e toda vez, hahaha. E quando VC parar DE JOGAR eu te garanto que a minha opinião é que vc foi o maior zagueiro que vi jogar no São Paulo. Outro que não estava longe tbm era André Dias. Cara vcs tomaram 19 gols em um campeonato Brasileiro inteiro. Monstros (2007) foi foda. 19 gols. Ninguém vazava essa defesa. Obrigado Monstro sagrado do futebol. Obrigado.

05/08/2021 23:23:24 Tricolorspfc30

Esse merece nosso respeito e seguir carreiras no sp não só como jogador mais algo mais essa ama o clube ,obg Por tudo miranda

05/08/2021 23:10:14 Danilo Ribeiro

Monstro ,melhor jogador do nosso tricolor

05/08/2021 22:46:54 Maria Amorim

MIRANDA VC NOD DÁ ORGULHO, OBRIGADA POR SER NOSSO.....FICO PENSANDO NO DANI ALVES, ELE SE ENVERGONHARIA COM ESSA HISTÓRIA TÃO LINDA DE AMOR AO CLUBE

05/08/2021 22:33:15 Osvaldo Mota

FELIZ É O TORCEDOR QUE TEM UM JOGADOR NO SEU TIME COMO VOCÊ MIRANDA.

05/08/2021 22:13:01 Antonio Carlos S Jr

Kra que historia incrivel e de superação, esse sim é um icone a ser seguido. Eu sinceramente pela idade duvidei que jogaria no nivel que tem jogado. Incrivel mesmo

05/08/2021 21:27:50 Christian Yuri

Monstro, sem palavras, me arrepiei....????

05/08/2021 21:24:39 Leonardo Leite

Joga de terno.

05/08/2021 21:08:36 Eudis Neves

Montrooooo,ja era seu fa , agora TEAMO cafa dia mais,o seu amor pelo sao Paulo é recíproco,vced+, obrigado por tudo,meu sonho é te conhecer,ta jogando de terno, AFFF,da nojo de vê, ídolo de eterno,tem muito a ensinar,que previlegio, Deus abençoe sempre,tamo junto ate o fim,????????????????????????????????????

05/08/2021 20:58:50 Jorge Nunes

Aqui é São Paulo porra ??????????

05/08/2021 20:56:29 Jorge Nunes

Como alguém da dislike ? É muita falta de amor pelo SPFC ??

05/08/2021 20:43:12 Lucilene Vivan

Parabéns Miranda o melhor zagueiro do Brasil obrigado por aceitar a voltar para o Tricolor mais querido do mundo aqui é o seu lugar que possa conquistar muitos títulos para o São Paulo

05/08/2021 20:17:21 Gerson Ribeiro da Rocha

Você Miranda é o grande exemplo do São Paulo

05/08/2021 20:03:21 Luis Inácio Cruz

Parabéns miranda quando eu bejo vc na zaga fico tranquilo jogar muito quê deus te abençoe sempre vc sim tem amor por essa camisa vamos ser campeão da copa do Brasil fique com deus miranda vc merece jogar de terno sem suar a camisa

05/08/2021 20:02:12 vander lima

Todos tem jagueiro nos temos o Miranda.

05/08/2021 19:45:52 Carlos Alberto Ataides

Ganhei o dia com essa matéria, resumindo o Miranda e o cara ,um exemplo de responsabilidade, inquestionável o comprometimento dele como jogador, é o melhor, mais muito melhor nisso tudo ....(O CARÁ E SÃO PAULINO, MESMO)...????????????

05/08/2021 19:41:48 Filipe Vasconcelos Sacca

Miranda é o melhor zagueiro do SPFC dos ultimos 30 anos... se duvidar o melhor dos ultimos 50 anos pós Roberto Dias

05/08/2021 19:38:08 pirol

Miranda, obrigado por voltar ao SPFC, apesar de estar mais velho, dispensa comentários, pra mim esta entre os melhores zagueiros do mundo, seguro nas jogadas, firme frente a atacantes, dá uma tranquilidade a defesa com técnica e experiência.Pode até errar mas é raro, junto com Rigone, as duas melhores contratações dos últimos 10 anos. Quando não joga é um problema para nossa defesa.Parabéns pela sua história de vida.

Enviar Comentário

Para enviar comentários, você precisa estar cadastrado e logado no nosso site. Para se cadastrar, clique Aqui. Para fazer login, clique Aqui.
  • publicidade
  • publicidade
  • + Comentadas Fórum

  • publicidade
  • Fórum

  • Próximo jogo - Paulista

    Dom - 20:00 - -
    São Paulo
    São Paulo
    Palmeiras
    Palmeiras

    Último jogo - Paulista

    Qua - 21:35 - Arena BRB Mané Garrincha
    https://media.api-sports.io/football/teams/1201.png
    Inter De Limeira
    0 3
    X
    São Paulo
    São Paulo
    Calendário Completo
  • publicidade
  • + Lidas

  • publicidade