publicidade

Tira-teima entre Verdão e Tricolor vale luta pelo título

Donos de bons elencos e contando com a má fase do Santos e a queda do Corinthians para a Série B, Palmeiras e São Paulo monopolizaram as atenções no estado em 2008. Os quatro confrontos anteriores - com duas vitórias para cada lado - foram cercados de polêmicas e intensa rivalidade. Agora, por mais que as diretorias tenham evitado troca de farpas, o clima é de tensão para o tira-teima do ano que acontece neste domingo, às 16 horas, no Parque Antártica.

O vencedor do jogo continuará firme na luta pelo título nacional (o Palmeiras pode até reconquistar a liderança com um tropeço do Grêmio). Na teoria, a vantagem em campo pertence ao Verdão, que vai jogar em casa, onde tem 12 vitórias, um empate e uma derrota no Campeonato Brasileiro.

“O Palmeiras tem de 60% a 70% de chances de vencer. Temos que acreditar no nosso time. Nosso grupo está forte e permanece focado”, afirmou o lateral-esquerdo Leandro, dando início às pitadas de pimenta na semana do clássico. Depois de ter suas palavras confirmadas também por Diego Souza, o ala ainda recebeu o apoio do técnico Wanderley Luxemburgo, que abandonou o discurso politicamente correto para cravar o favoritismo de sua equipe.

“Fiquei surpreso com todos os questionamentos sobre esse assunto, os jogadores falaram somente uma realidade, já que temos quase 90% de aproveitamento no Palestra Itália nesta temporada. Somos favoritos em função disso”, afirmou o treinador palmeirense.

Os jogadores do São Paulo fugiram de polêmica durante toda a semana e, assim, coube ao técnico Muricy Ramalho e ao presidente Juvenal Juvêncio darem a resposta de forma irônica.

“Está bom, sobrando 30% (de chances) para nós está ótimo”, ironizou o treinador, que, na seqüência, chamou a responsabilidade para o Tricolor. “Estamos há muitos anos no futebol. No sábado passado, teve o exemplo do Flamengo, que era 100% e tomou de três no Maracanã (para o Atlético-MG). Já vi cair tanta porcentagem... Mas, para mim, meu time é o 100% e o favorito”.

Favoritismo à parte, o reencontro no Parque Antártica é cercado de muita expectativa, tanto que os ingressos foram esgotados na terça-feira, primeiro dia de vendas. Na última vez que visitou o rival, o São Paulo reclamou de um gás tóxico em seu vestiário. Desta vez, o Tricolor foi alvo de uma ‘brincadeira’ de torcedores alviverdes: recebeu flores durante a semana.

A ação irritou a cúpula tricolor, que não gostou do teor da mensagem do bilhete que acompanhava o presente. “Recebemos com carinho flores, mas o cartão foi um pouco impróprio e vai contra tudo que esperamos no clássico”, argumentou o superintendente Marco Aurélio Cunha, que viu revanchismo no recado ‘domingo tem mais’.

Para completar a disputa de nervos, os dois treinadores resolveram fazer mistério nas escalações. Luxemburgo, que levou o elenco alviverde para um refúgio em Atibaia, realizou treino secreto na quinta-feira e não dá pistas sobre a equipe que colocará em campo. Porém , a tendência é que o treinador escolha Léo Lima, um dos destaques da semifinal do Paulista diante do próprio São Paulo, para atuar no meio-campo. O resto do time deve ser o mesmo que empatou diante do Figueirense, em Florianópolis.

“Sabemos que a preparação dos dois times foi parecida, trata-se de um clássico, então tudo pode acontecer. Às vezes, você espera um grande jogo e não acontece nada. Em outras, você acha que jogo será ruim e fica surpreso”, comentou Luxemburgo.

Já no São Paulo, a dúvida fica por conta de Dagoberto, que se recuperou de contusão na coxa direita. Como o atleta passou a maior parte da semana no Reffis, Muricy tem dúvida se o jogador está pronto para atuar em um jogo decisivo.

Se o atacante não puder atuar, o treinador deixará apenas Borges no ataque do São Paulo e escalará Jancarlos na direita. Com esta formação, o meio-campo ficaria mais consistente, já que contaria com a ajuda de Zé Luis.

Diante de tantos artifícios para buscar o triunfo, Palmeiras e São Paulo também terão de ficar de olho em outro jogo na capital paulista, entre a Portuguesa e o líder Grêmio, que tem 56 pontos. O Verdão é o segundo colocado, com 54, enquanto o Tricolor aparece em quarto, com 52.

FICHA TÉCNICA
PALMEIRAS X SÃO PAULO

Local: Estádio Parque Antártica, em São Paulo (SP)
Data: 19 de outubro de 2008, domingo
Horário: 16 horas (de Brasília)
Árbitro: Sálvio Spínola Fagundes Filho (Fifa-SP)
Assistentes: Ednilson Corona e Emerson Augusto de Carvalho (Fifa-SP)

PALMEIRAS: Marcos; Gustavo, Roque Júnior e Martinez; Elder Granja, Sandro Silva, Léo Lima, Diego Souza e Leandro; Kléber e Alex Mineiro
Técnico: Wanderley Luxemburgo

SÃO PAULO: Rogério Ceni; Rodrigo, André Dias e Miranda; Zé Luis, Jean, Hernanes, Hugo e Jorge Wagner; Dagoberto (Jancarlos) e Borges
Técnico: Muricy Ramalho

VEJA TAMBÉM
- Provável escalação do São Paulo para enfrentar o Internacional no Brasileirão
- São Paulo Mantém postura firme e exige pagamento da multa por Galoppo
- SECA DE GOLS! Atacante atravessa fase difícil sob comando de Zubeldía no São Paulo


Receba em primeira mão as notícias do Tricolor, entre no nosso canal do Whatsapp


Avalie esta notícia: 8 9

Nenhum comentário ainda. Seja o primeiro a comentar.

Enviar Comentário

Para enviar comentários, você precisa estar cadastrado e logado no nosso site. Para se cadastrar, clique Aqui. Para fazer login, clique Aqui.