Pintado elogia Ceni e Diniz, mas indica outros dois técnicos para seleção

Pintado comanda o Cuiabá à beira do campo durante partida contra o Atlético-GO
Imagem: Isabela Azine/AGIF


Já são quase quatro décadas dedicadas ao futebol, duas delas exclusivamente atuando como treinador. Atualmente sem clube após deixar o Cuiabá, em maio, Pintado conhece bem o ofício da profissão e tem opinião formada sobre quem deveria assumir a seleção brasileira após Tite deixar o cargo ao término da Copa do Mundo do Qatar.



"O nosso futebol precisa de um sangue novo, ou um cara já com experiência que tenha essa disposição e força para criar, assim como fez o Tite. O Tite fez um trabalho exemplar, então, depois do Tite, estaria entre o Cuca e o Dorival Júnior", disse, em entrevista ao UOL Esporte, o técnico de 57 anos, que tem aproveitado o tempo livre para curtir o neto Théo.


LEIA TAMBÉM: Presidente do São Paulo não descarta volta de ídolo em 2023: “Quem sabe”


"Não é de hoje que o Dorival Jr. tem apresentado bons resultados, mas agora no Flamengo [ficou mais evidente]... É impossível você fazer só bons trabalhos, claro que em alguns momentos você tem dificuldades (...). Não dá para discutir o trabalho do Dorival no Flamengo, sem dúvida que essa arrancada onde muitos tentaram, grandes treinadores tentaram e não conseguiram, o Dorival foi e resolveu com uma grande equipe. Para mim, o trabalho do Dorival é o melhor do Brasil", analisou Pintado.

Apesar de defender Dorival ou Cuca na CBF, Pintado também cita outros dois treinadores que poderiam assumir a seleção no futuro: os técnicos de Fluminense e São Paulo.

"Depois do Tite, nós temos alguns jovens iniciando, não dá pra você esquecer que o Fernando Diniz tem uma ideia muito boa de futebol, tem uma maneira consolidada, sabe como fazer. Não dá para descartar o Rogério Ceni, com pouco tempo de profissão e com vários títulos [como jogador]", completou o treinador, que aproveitou para sair em defesa do colega Cuca.

"Acho injusto o que se fala do Cuca neste momento. Há seis meses, o Cuca era o treinador da seleção brasileira, todo mundo falava em Cuca, era o melhor. Hoje já não é, ninguém fala do Cuca mais porque foi feita uma mudança no Atlético-MG, que trouxe um estrangeiro [Turco Mohamed] que modificou as coisas de deram certas [em 2021]. Hoje o Cuca paga o preço por isso, ele sabia disso também", comentou.

Contra gringos na seleção...
Em relação ao clamor popular para a CBF contratar um treinador estrangeiro para o ciclo da próxima Copa do Mundo, em 2026 — conjuntamente entre Estados Unidos, México e Canadá —, Pintado se diz contra a ideia.

"Não por ser estrangeiro, mas eu sou totalmente contra esse tipo de situação pela nossa história. A gente valoriza pouco o Brasil, valoriza pouco os nossos profissionais aqui, temos cinco títulos mundiais. Os estrangeiros são importantes no Brasil para ajudar a reconstruir o nosso futebol. Mas para dirigir a seleção tem que ser um treinador brasileiro, nascido, vivendo e que conhece bem o nosso futebol", analisou.

"Não dá para tirar os méritos dos [treinadores] brasileiros, que são os únicos no mundo que conseguem administrar um calendário louco como esse, ninguém, nenhum outro país consegue resolver os problemas como nós resolvemos, sem poder treinar, sem tempo de treino. Por isso, muitos estrangeiros têm dificuldade porque não tem tempo para treinar. Nós brasileiros não, a gente consegui solucionar sem tempo de treino", acrescentou.

... mas elogios aos portugueses
Apesar de ser avesso à possibilidade de um gringo ocupar o posto que hoje pertence a Tite, Pintado tem total ciência que alguns estrangeiros fizeram bem ao futebol brasileiro, como os portugueses Abel Ferreira e Vítor Pereira, no Palmeiras e no Corinthians, respectivamente.

"O Vítor Pereira é um dos portugueses que vieram [em 2022] é que melhor se adaptou, em meio a um momento difícil de uma grande equipe. Ele está fazendo muito, isso é muito positivo. O Abel Ferreira, não digo ser copiado, mas é um bom exemplo para que nós todos e não só os brasileiros, nós todos os treinadores, possamos observar o que ele tem de melhor. Talvez não seja um estilo maravilhoso, mas ele é um gestor muito bom, não só nas palavras. O Palmeiras é o favorito em tudo o que for jogar, criou casca. Vivi isso numa equipe [São Paulo na década de 1990, com Telê Santana] que ganhou muito, aprendeu a decidir jogos decisivos."

Recentemente, emergiu um debate se os técnicos brasileiros estavam enciumados pelo fato dos profissionais estrangeiros estarem mais em evidência, principalmente após as declarações de Jorginho e Mano Menezes cutucando o treinador palmeirense. Para Pintado, não há 'dor de cotovelo', e sim falta de reciprocidade aos brasileiros no mercado externo.

"A discussão nunca foi 'o estrangeiro', e sim a reciprocidade, Qualquer estrangeiro no mundo pode trabalhar no Brasil, não tem dificuldade nenhuma de vir trabalhar no Brasil. O futebol brasileiro facilita muito para qualquer profissional que venha trabalhar no Brasil. A gente não tem isso fora daqui, o brasileiro não pode treinar fora daqui, dificilmente você consegue trabalhar fora em outros mercados. Não podemos trabalhar em outros países, não porque a gente não seja capaz, mas porque existem regras lá fora, regras mais sérias, existe mais profissionalismo, mais reserva de mercado", refletiu.

'Futebol brasileiro está doente'
Acostumado com a ciranda do futebol brasileiro, com a grande rotatividade de treinados nos clubes do país, Pintado apontou que o excesso de jogos no calendário e o fato de os clubes priorizarem o lado financeiro deixaram o "futebol doente".

"O futebol brasileiro está enfermo, o futebol brasileiro está doente. Essa loucura de calendário, essa loucura de jogos, com o negócio sendo mais valorizado do que o esporte, eu vejo o futebol brasileiro doente e nós precisamos cuidar dele. A necessidade financeira acabou passando na frente da necessidade esportiva. Há a necessidade de os clubes grandes jogarem [simultaneamente] três, quatro competições. Quando eu falo o termo enfermo, doente, quer dizer que perdemos a qualidade. É impossível você manter qualidade, a intensidade, construir alguma coisa num calendário tão maluco como o nosso", disse o ex-volante do São Paulo e Atlético-MG, que indicou o 'remédio' para esta moléstia.

"Todas as partes precisam sentar e conversar juntas. Nunca aconteceu isso no futebol brasileiro, como aconteceu na Europa. Conversei com algumas pessoas nestes dois últimos meses, lá todo mundo participa dos interesses do planejamento anual dos clubes. O calendário é discutido por atletas, treinadores, gestores dos clubes, as federações e confederações. Tudo isso é discutido de uma maneira muito diferente, muito mais profissional e isso acaba ajudando, porque não fica olhando só uma parte. Todas as partes precisam ganhar para que o torcedor receba um produto melhor", finalizou.

Outros trechos da entrevista com Pintado:
Flamengo é o favorito para ganhar a Copa do Brasil e Libertadores

"Eu acredito que sim. Contra o Corinthians é a maior prova do Flamengo esse ano para demonstrar a sua grandeza e a qualidade do trabalho de todos os profissionais que estão lá, não só do treinador. O Flamengo tem toda a condição, tem toda a força de buscar o resultado, embora o Corinthians vai dar muito trabalho. Pode ter uma grande surpresa na final da Libertadores, com dois brasileiros se enfrentando. Eu acredito numa final mais bonita, numa final melhor jogada, uma final com mais qualidade do que quando você enfrenta um argentino, que ele vai vir marcando, dificultando, dando porrada."

Hegemonia brasileira na Libertadores

"Se a Conmebol não der um jeito nisso, durante muito tempo a gente vai ver sempre um brasileiro na final, a não ser que aconteça alguma tragédia, Os clubes brasileiros estão muito à frente na maioria de todos os outros países da América do Sul (...) A Conmebol pensa no retorno do futebol brasileiro financeiramente, porque não é justo competitivamente a gente ter seis vagas [para a Libertadores]. É muita coisa. Penso que deveria ser revisto para o bem deste futebol."



Ceni vai levar o São Paulo ao título da Sul-Americana

"O Rogério vem reconstruindo [o time]. É muito difícil você chegar, como o Rogério chegou no São Paulo, com o peso de ter vivido a vida toda lá dentro, com o peso de uma equipe que tinha muitas dificuldades, com o peso de uma equipe iniciando um trabalho... O Rogério está fazendo um grande trabalho, não dá para cobrar nada dele. Quando estiver um pouco mais estável, aí sim pode algumas outras coisas, nesse momento é injusto. O São Paulo chegou na maioria das competições que disputou, não tinha elenco para isso, não tinha condições de disputar de competir isso também vale muito (...) O título cobra, o título marca, o título é sempre importante, tenho certeza que o Rogério não está dormindo para buscar esse título, porque ele só sabe ganhar. O São Paulo tem uma história e acredito muito no que foi construído no passado. Tenho certeza que o São Paulo é favorito para essa final [contra o Independiente del Valle, em 1º de outubro, em Córdoba], e vai vencer bem."

Pintado, elogia, Ceni, Diniz, técnicos, seleção

VEJA TAMBÉM
- Wellington Rato e David: jornalistas trazem novas informações sobre as negociações com São Paulo
- Mais um reforço? São Paulo tenta empréstimo do atacante Marcos Paulo, ex-Fluminense
- São Paulo fecha com goleiro Rafael, do Atlético-MG


CONFIRA:Marcos Paulo, xodó de Ceni e mais: São Paulo busca reforços e tenta quitar pendências com elenco

VEJA TAMBÉM:Apesar da forte concorrência, São Paulo tem trunfo para fechar contratação de Wellington Rato; veja bastidores

E MAIS:Conheça a trajetória e números de Marcos Paulo, novo atacante que interessa ao São Paulo

Avalie esta notícia: 7 2

Comentários (5)

25/09/2022 16:22:35 eduardo silva

Dorival?

25/09/2022 11:59:21 Nelson Galhardo

De seleção brasileira só tem o nome tem jogador que só este treinador comunista antipatico ,conhece no Brasil tem tem jogador melhor do que muitos ,,ex Firmino, Gabriel Jesus, laterais,eu acho o Fagner do Corinthians melhor do que estão lá .

25/09/2022 09:52:54 Neto Oliveira

Piada de mau gosto

25/09/2022 08:44:52 Neto Oliveira

Narigudo na seleção isso é piada.

25/09/2022 07:55:58 Andre alves

Só de cogitarem o Rogério Ceni na seleção,. é a maior piada de todos os tempos,,e uma falta de respeito com a seleção..??

Enviar Comentário

Para enviar comentários, você precisa estar cadastrado e logado no nosso site. Para se cadastrar, clique Aqui. Para fazer login, clique Aqui.
  • + Comentadas Fórum

  • publicidade
  • Fórum

  • Próximo jogo - Paulista

    Sáb - 21:00 - -
    São Paulo
    São Paulo
    Ituano
    Ituano

    Último jogo - Brasileiro

    Dom - 16:00 - de Hailé Pinheiro
    https://media.api-sports.io/football/teams/151.png
    Goiás
    0 4
    X
    São Paulo
    São Paulo
    Calendário Completo
  • publicidade
  • + Lidas

  • publicidade
  • Untitled Document
    Classificação
    1 Palmeiras
    2 Internacional
    3 Fluminense
    4 Corinthians
    5 Flamengo
    6 Atletico Paranaense
    7 Atletico-MG
    8 Fortaleza EC
    9 São Paulo
    10 America Mineiro
    11 Botafogo
    12 Santos
    13 Goiás
    14 RB Bragantino
    15 Coritiba
    16 Cuiaba
    17 Ceará
    18 Atletico Goianiense
    19 Avai
    20 Juventude
    P J V E D GP GC SG ÚLT. JOGOS
    81 38 23 12 3 66 27 39 VVEVD
    73 38 20 13 5 58 31 27 VDVVV
    70 38 21 7 10 63 41 22 VVVVV
    65 38 18 11 9 44 36 8 EVVED
    62 38 18 8 12 60 39 21 VDDED
    58 38 16 10 12 48 48 0 DVDEV
    58 38 15 13 10 45 37 8 VEDVV
    55 38 15 10 13 46 39 7 VDEVV
    54 38 13 15 10 55 42 13 VEDDV
    53 38 15 8 15 40 40 0 EVVDE
    53 38 15 8 15 41 43 -2 VDVVD
    47 38 12 11 15 44 41 3 DVEDD
    46 38 11 13 14 40 53 -13 EDVDD
    44 38 11 11 16 49 59 -10 DVDDD
    42 38 12 6 20 39 60 -21 DVVED
    41 38 10 11 17 31 42 -11 VVEDV
    37 38 7 16 15 34 41 -7 DDDDV
    36 38 8 12 18 39 57 -18 DDEEE
    35 38 9 8 21 34 60 -26 DDEVV
    22 38 3 13 22 29 69 -40 DDDED
    Libertadores Pré-Libertadores Sul-Americana Rebaixados
    vitoria empate derrota
07/12/2022 23:29:17