Análise Técnica: São Paulo 0 x 1 Santos

Análise Técnica: São Paulo 0 x 1 Santos

Entenda quais foram as virtudes e os defeitos do tricolor na derrota no SanSão

0 0 0 0
Por Iury Cesar Alves

Vamos detalhar como foi o desempenho da equipe tricolor:

No momento Ofensivo, o tricolor soube usar e movimentar bem sua linha de ataque e do meio-campo, fazendo boas jogadas, principalmente vindas do jogador Nenê que realizava lançamentos buscando espaços vazios para surpreender o Santos.
A proposta de mudança/movimentação dos jogadores de ataque pareceu ser bem interessante. Resta sabermos se a proposta do Dorival Junior era confundir os marcadores santistas.




Outro ponto positivo no ataque era a constante movimentação e apoio do lateral Reinaldo pelas laterais. Como o time fazia uma boa marcação no meio impedindo o rápido avanço santista, Reinaldo pode circular bastante pelo flanco ofensivo do São Paulo.


No momento defensivo, o time jogou muito bem no primeiro tempo, devido a compactação das linhas. Principalmente no primeiro tempo, as linhas muito próximas proporcionavam uma melhor troca de passes além de tomar quase que totalmente os espaços livres no campo para que o Santos trabalhasse a bola.


Além da marcação com as Linhas Compactas, outro fator que dificultava o avanço das linhas santistas, era a marcação homem a homem que o São Paulo realizou. Isso fez com que muitas vezes o adversário desse “balões” buscando o atacante Gabriel.


Além disso, por vários momentos a defesa tricolor fazia as linhas de impedimentos, que foram bem sucedidas.


Algo que atualmente no futebol brasileiro não é muito aproveitado, são os chutes de longa distância. Como podemos ver o grande lance do zagueiro Bruno Alves (Imagine se houvesse mais tentativas de chute de média/longa distância):



Podemos imaginar vendo essa análise que o São Paulo realizou um jogo muito envolvente e de ataque total. Mas com todos esses detalhes, houve durante todo o jogo 3 lances reais de gol por parte do São Paulo. Ambos no primeiro tempo. 2 Chutes a queima a roupa do peruano Cueva e 1 chute isolado do Marcos Guilherme.

Segundo tempo
A partir de 5 minutos de jogo no segundo tempo, o Santos começou a realizar boas trocas de passes e transições ofensivas, devido as linhas do São Paulo não estarem mais jogando compactas. Talvez por motivo de cansaço, as transições ofensivas e principalmente defensivas do tricolor ficaram muito lentas. Com isso, em uma boa e rápida movimentação do ataque, o Santos marcou o único tento da partida.


Note o grande espaço que há entre a linha do meio e a linha de defesa do São Paulo. Esse espaçamento das linhas se aplicou principalmente a lentidão do apoio dos volantes Petros e Jucilei. Permitindo a penetração dos jogadores do Santos pelo meio.


Resumo:
Passes rápidos, transições ofensivas e defensivas com grande velocidade, defesa compacta, marcação alta, jogo intenso e envolvente, erros de passes, transição defensiva lenta, falta de atenção de alguns jogadores, posições aleatórias em jogadas ofensivas e o Gol do Santos.
Em resumo esse foi o jogo do São Paulo contra o Santos válido pela 8ª rodada do campeonato Paulista.
O tricolor do Morumbi conseguiu apresentar na mesma partida suas qualidades e deficiências, resultando no gol da equipe adversária no chamado lance de "Jogamos por 1 Gol". Vale destacar que o Santos fez uma partida excelente em termos táticos.
Desde o posicionamento dos jogadores e em principal a atuação de sua linha defensiva.
Através de uma falha de marcação compacta como o São Paulo havia feito quase em todo o primeiro tempo, Gabriel se aproveitou do espaço disponível e penetrou até a entrada da área e acertou um chute bem colocado, contou ainda com um leve desvio de Arboleda.
Mais uma vez o São Paulo largou muito bem em uma partida, mas com o passar do tempo, foi desacelerando o ritmo, mais especificamente a partir dos 5 minutos do segundo tempo, resultando em uma jogada adversária que praticamente "matou" a partida.
Mesmo com as alterações realizadas (Valdívia, Tréllez e Brenner), não houve mudanças no jogo, pois a partir do gol, o Santos impôs seu jogo retardando todas as ações tricolores rumo ao ataque, além de levar em conta que o São Paulo perdeu a velocidade nos passes e criação de jogadas com a saída do Cueva e as penetrações pela ponta esquerda com o Marcos Guilherme que saiu devido contusão.

Pode ser que finalmente o time está encontrando um padrão de jogo com a formação 4-3-3, mas ainda não há um padrão de ataque. Nos resta acompanharmos o que acontecerá na próxima rodada contra o Ituano.


Avalie esta notícia: 7 0

Comentários (10)

20/02/2018 18:21:57 Edula

DE FATO O SÃO PAULO JOGOU BEM E RAZOAVELMENTE COMPACTADO NO PRIMEIRO TEMPO E NO SEGUNDO FEZ TUDO AO CONTRÁRIO DO QUE HAVIA FEITO NO PRIMEIRO.
MAS NOTEM UM PONTO IMPORTANTE E RECORRENTE EM TODOS OS JOGOS DO SÃO PAULO E QUE VEM NOS FAZENDO TOMAR GOLS IDIOTAS:- NOTEM A IMAGEM DO GOL QUE SOFREMOS - A BOLA ALCANÇA GABIGOL QUE ESTÁ COMPLETAMENTE SEM MARCAÇÃO POIS TODOS OS NOSSOS ZAGUEIROS E VOLANTES ESTAVAM PRESTANDO ATENÇÃO NA BOLA E NA DISPUTA POR ELA (NAQUELE MOMENTO MEROS EXPECTADORES). NOSSO DEFENSOR MAIS PRÓXIMO, EMBORA NÃO DÊ PARA TER UMA NOÇÃO EXATA DA DISTÂNCIA, PROVAVELMENTE ESTAVA A MAIS DE 10 METROS DE GABIGOL, QUE CHUTOU COMPLETAMENTE LIVRE.
ERRO DE POSICIONAMENTO, CLARO QUE SIM, MAS O QUE MOTIVOU ESTE MAU POSICIONAMENTO? CERTAMENTE TODOS OLHAVAM PARA A BOLA SEM PRESTAR ATENÇÃO NOS ADVERSÁRIOS E ASSIM TODOS SE POSICIONARAM PESSIMAMENTE E LITERALMENTE DEIXARAM QUE O SANTISTA FIZESSE O GOL

20/02/2018 11:18:25 Renato Luiz

técnico q eh técnico, monta um time conforme as características dos jogadores q tem
eh sabido q o sao Paulo contratou ótimos jogadores, porém para jogarem no meio, já deu para perceber q o Diego Souza, por melhor e mais esforçado q seja, como centroavante não dá, perdemos um otimo meio campista e nao temos centroavante
como nao eh possivel sacar nenhum deles, o certo eh montar um esquema como na copa de 70 onde Rivelino, tostão, Gerson, Pelé eram todos meias e o time jogava sem um jogador de referência
eh montar um rodízio dentro da área

20/02/2018 11:08:48 Keyson

cadê a cobertura do Jucilei na quarta foto? falta aplicação na marcação, as vezes os jogadores largam seu adversário sozinho (caso no gol do Santos).

20/02/2018 11:01:21 Rafael Arcanjo

Sou a favor de um esquema simples 4 4 2 e pronto faz o arroz com feijão.

20/02/2018 09:57:11 Erivan Barros Tavares

time medíocre esse do Santos jogou por uma bola

20/02/2018 09:34:51 Luíz Otavio Loureiro

falta fundamento, chute, passe e cruzamento, treino e dedicação e não apenas vitrine pra ser vendido

20/02/2018 09:32:56 Antonio Machado

O treinador não consegue compactar o time será que eh tão difícil de aproximar as linhas?

20/02/2018 09:32:10 Mário Talhari

blábláblá, ......
Cadê as vitórias sobre clássicos?
Cadê as vitórias sobre qualquer merda?
Cadê sequência?
Cadê títulos??????

20/02/2018 09:35:52 sandro[SPFC]

e nisso vem a pergunta pq manter em campo 2 volantes lentos q num marcam e nem atacam e 1 zaguero improvisado q tbm naum ataca

20/02/2018 09:21:30 Daniel Salles

excelente análise! o problema do Dorival é que ele não tem variação. fica engessado no esquema. com a postura defensiva do Santos era obrigação tirar um volante, colocar o brenner de centroavante pra ajudar o Diego Souza. Dorival mexe mal.

Enviar Comentário

Para enviar comentários, você precisa estar cadastrado e logado no nosso site. Para se cadastrar, clique Aqui. Para fazer login, clique Aqui.