publicidade

Ex-atacante Lê foi o 1º jogador negociado por 1 milhão de cruzados no Brasil

0 0 0
Considerado um "jogador moderno" para a época, o ex-atacante Lê, ex-São Paulo, foi o protagonista da primeira negociação entre clubes brasileiros com cifras acima de um milhão. O ano era 1988 e a moeda vigente no país era o cruzado. "Depois vieram [negociações milionárias] com outros jogadores, mas a primeira foi a minha", diz o ex-jogador em entrevista ao UOL Esportes.



Em 1988, depois de ajudar o São Paulo a levantar a taça de Campeão Paulista sobre o Corinthians, o atacante foi vendido para a Portuguesa. Em valores atualizados pelo IPCA (Índice de Preços ao Consumidor Amplo), a negociação hoje teria números bem modestos, cerca de R$ 83 mil. Mas, na época em que a inflação era um fantasma na vida dos brasileiros, os valores impressionaram.


LEIA TAMBÉM: Leco pode não aguentar pressão e demitir Diniz se time tropeçar contra Inter e River Plate


Ronaldo Francisco Lucato, conhecido como Lê, um diminutivo para "Alemãozinho", em referência à pele clara e aos cabelos loiros, havia chegado ao São Paulo dois anos antes com a difícil missão de substituir o ídolo tricolor Careca, vendido ao Napoli, da Itália.

Foi um pedido do treinador Pepe, com quem havia trabalhado na Inter de Limeira, e conquistado o Paulista de 1986. Ele conta que Juvenal Juvêncio (1934-2005), que era diretor de futebol do São Paulo na ocasião, não acreditava que o jovem, então com 24 anos, poderia substituir à altura um dos grandes ídolos da torcida tricolor. Mas ele conseguiu superar a desconfiança com o que fazia de melhor: gols.

"Como eu entrei e comecei a fazer gols, no bom sentido, a torcida esqueceu do Careca. Eu fui campeão paulista de 87 e marquei um gol na final contra o Corinthians nos 2x1 no primeiro jogo, e daí para frente acabou essa a cobrança em cima do [camisa] 9."

Pelo São Paulo, Lê fez 24 gols em dois anos, e foi artilheiro do time no Paulista, à frente de Müller. Até ser negociado com a Portuguesa de Desportos, em 1988, pelo valor astronômico para a época.

Saída do São Paulo

A saída de Lê do São Paulo também foi marcada por polêmicas. Como Juvenal Juvêncio não acreditava no potencial do atacante, fez um "contrato de gaveta", com a promessa de pagar o salário do Careca, caso ele conseguisse a vaga de titular no time, em que tinha jogadores como Müller e Silas.

"Só que o Juvenal Juvêncio nunca cumpriu. Quando acabou meu contrato de dois anos, eu falei: 'agora, quero reaver meu dinheiro'. Ele disse que não", relembra. Lê, então pediu para ser vendido. Foi quando apareceu a Portuguesa na jogada.

Apesar de não ter repetido na Lusa os números que havia conquistado pelo São Paulo (com apenas três gols em 25 jogos), Lê garante que não se arrependeu de ter feito a troca.

"Eu joguei na Portuguesa, ela me ofereceu mais e foi para lá que eu fui. Tenho que lutar por um clube que está pagando melhor. Sempre levei o lado profissional ao pé da letra. Então, eu saí do São Paulo não foi por briga, nem por mágoa, é que não chegou a um acordo. O São Paulo prometeu um negócio para mim e não cumpriu."

Carreira e título de "jogador moderno"

Natural de Limeira, no interior paulista, Lê iniciou a carreira na Internacional da sua cidade. Ele diz que jogava na escola e em ginásios da região, quando foi convidado para integrar a equipe sub-20 que a Inter estava montando. Mas se sobressaiu e, aos 16 anos, estava no time principal.

Na equipe, que tinha nomes experientes, como Kita, João Batista, no meio, e Tato, na direita, ele se encaixou como um "ponta falso" na esquerda.

"Todo mundo tinha o ponta direita e o esquerda, e eu fazia o quarto homem. Eu tinha força, tanto pela idade, para chegar com velocidade, tinha habilidade e ainda ajudava na marcação. A Inter ficou um pouco mais forte no meio campo e, ao mesmo tempo, rápida no contra-ataque", relembra.

Pelo time do interior paulista , foi campeão estadual 1986 em cima do Palmeiras. Lê relembra que entrou em campo em todos os jogos daquele campeonato, mesmo machucado, como aconteceu nas duas últimas partidas da decisão.

"No primeiro jogo contra o Palmeiras [em um domingo], eu tomei um pisão que varou a chuteira e cortou meu pé. Na hora nem senti, mas quando cheguei ao vestiário, vi que tinha muito sangue. Fiz tratamento para o segundo jogo, que era na quarta-feira. Teve corte, levei pontos fui para o jogo. No intervalo, seu Pepe me tirou. O pisão estava me incomodando muito."

Lê considera a conquista em cima do Palmeiras uma verdadeira "façanha", ainda mais que os dois jogos foram disputados na capital, no estádio do Morumbi.

"O primeiro jogo foi a chave para que a gente conseguisse essa façanha. Nós empatamos em 0 a 0 e ali foi o que deu a nossa coragem. O Palmeiras deu essa chance para nós, e foi aí que nós nos fechamos e falamos "é nosso". No jogo de volta, a Inter bateu o Verdão por 2 a 1.

Depois do Paulista, o treinador Pepe foi comandar o São Paulo e pediu para a contratação do atacante. Foi no clube do Morumbi que Lê fez o que considera "o gol mais importante" da carreira: o segundo do Tricolor na vitória por 2 a 1 contra o Corinthians, pela final do Paulistão de 1987.

"Foi o gol mais importante da minha carreira em termos de conquista. Fiz o gol de cabeça, com minha altura, 1,70, no Corinthians, e esse gol deu o título ao São Paulo. E ainda fui o artilheiro do São Paulo que tinha Müller. Isso fez com a diretoria não precisasse contratar mais um atacante, fui efetivado e morreu o assunto."

À época, foi classificado como atacante "moderno" pela revista Placar. Lê considera que foi o "primeiro camisa 9".

"Eu jogava sem a bola, procurava os espaços. Quando cheguei no São Paulo, os outros centroavantes eram altos, de área. Eu comecei a fazer um trabalho diferente. Modéstia à parte, eu fui o primeiro 9, depois teve Romário, Bebeto...Eu fazia essa leitura de jogo."

Além de Inter de Limeira, São Paulo e Portuguesa, Lê ainda defendeu o Internacional, de Porto Alegre, passou por Ituano, Santa Cruz (PE) e Atlético-MG antes de passar três temporadas no Otsuka, do Japão, e encerrar a carreira no Independente (SP), em 1998.

Vida após aposentadoria: "Hoje eu sou Ronaldo Francisco Lucato"

Aos 56 anos, Lê mora em Limeira, tem uma empresa de marketing esportivo, que presta assessoria a atletas, e diz que se preparou para ter uma vida "igual ou melhor do que quando eu jogava". "Hoje, eu sou o Ronaldo Francisco Lucato, não tem nada a ver com a questão do Lê. Eu tenho a minha empresa, tenho meus funcionários e tenho a minha vida. Vivo em prol disso".



Ele diz que, depois que encerrou a carreira, conseguiu se desvincular do futebol. Apesar de ter uma empresa que lida com atletas, afirma que seguiu os conselhos de Emerson Leão, ex-goleiro do Palmeiras e técnico da seleção brasileira, de não jogar nenhuma "pelada". "Você está lá brincando, por lazer, mas os caras querem cobrar você como um ex-jogador de futebol, como se fosse o Lê com 20 anos", diz.

Pela TV, ainda acompanha o futebol atual e lamenta que o jogador brasileiro tenha perdido a "malandragem, a malícia". "Aquela coisa de futebol arte. Não era esse negócio robótico. Eu cobrava, xingava. Uma malandragem que hoje não tem. Ninguém fala. Você não vê jogadores gesticulando, não vê nada".

São Paulo, Ex-atacante, Lê, Jogador, Negociado, Milhão, Cruzados, Brasil, SPFC

VEJA: Destaque do São Paulo, Brenner tem 'aval' de Ceni e multa de R$ 337 milhões

CONFIRA:
Diniz não terá muitas opções na lateral direita para o próximo jogo



SPFC MONITORA MERCADO ATRÁS DE REFORÇOS APÓS LESÕES LOTARAM O DM

Avalie esta notícia: 4 0

Comentários (8)

27/09/2020 13:44:54 Roberto Carlos Ramos

Coitado. Substituir o Careca é como o Rubinho substituir o Senna.

27/09/2020 13:11:35 Reginaldo Sechinatto

Baxinho bom de bola

27/09/2020 11:14:41 Lemonz

O futebol girava valores bem menores mesmo na época. Careca foi vendido por 2 milhões de dólares e na época era uma fortuna, loucura, proposta irrecusável. Os salários também eram muito mais dentro da realidade, um jogador top, de seleção naquela época dificilmente ganharia mais de 150 mil reais em dinheiro de hoje. Hoje em dia qualquer perna de pau que tá saindo da base em time grande já ganha isso. O Kingnaldo que só engana a torcida faz anos ganha umas 3x isso...

27/09/2020 11:47:15 Paulo Monteiro de Mello

Se o Raí fosse o diretor do SP de 87, teria pago 3 milhões, e dado o Muller...

27/09/2020 11:25:14 Marcelo Augusto

Vamos falar de atualidade , #foradiniz , seu merda !!!!

27/09/2020 11:22:39 Eric Funes

Foi um otimo aracante! Substituir o Careca nao seria facil p ngm!

27/09/2020 10:59:09 davi marcovitch

Jogou muito

27/09/2020 10:15:58 Marcos Toledo Melão

Bom jogador sabia jogar boa contratação será semp

Enviar Comentário

Para enviar comentários, você precisa estar cadastrado e logado no nosso site. Para se cadastrar, clique Aqui. Para fazer login, clique Aqui.
  • publicidade
  • + Comentadas

  • publicidade
  • Fórum

  • Próximo jogo - Brasileiro

    Dom - 16:00 - -
    Flamengo
    Flamengo
    São Paulo
    São Paulo

    Último jogo - Copa Do Brasil

    Dom - 20:30 - Morumbí
    images/icon-spfc.png
    São Paulo
    2 2
    X
    Fortaleza EC
    Fortaleza EC
    Calendário Completo
  • publicidade
  • Blogs

  • publicidade
  • Untitled Document
    Classificação
    1 Internacional
    2 Flamengo
    3 Atletico-MG
    4 Fluminense
    5 São Paulo
    6 Santos
    7 Palmeiras
    8 Fortaleza EC
    9 Grêmio
    10 Ceará
    11 Atletico Goianiense
    12 Sport Recife
    13 Corinthians
    14 Bahia
    15 Bragantino
    16 Botafogo
    17 Vasco DA Gama
    18 Atletico Paranaense
    19 Coritiba
    20 Goiás
    P J V E D GP GC SG ÚLT. JOGOS
    35 18 10 5 3 30 15 15 VVVVE
    35 18 10 5 3 32 21 11 VVEVE
    32 17 10 2 5 31 20 11 DVEDE
    29 18 8 5 5 28 21 7 VVEEV
    27 15 7 6 2 20 13 7 EEVVE
    27 18 7 6 5 24 22 2 EVDVD
    25 17 6 7 4 22 20 2 DDDDV
    24 16 6 6 4 16 11 5 EEVEV
    24 17 5 9 3 19 16 3 VDVEV
    22 17 6 4 7 21 24 -3 DEVEV
    22 18 5 7 6 17 24 -7 DVVED
    21 18 6 3 9 18 26 -8 DDDDE
    21 18 5 6 7 21 26 -5 EDVDV
    19 17 5 4 8 22 25 -3 DVDEV
    19 18 4 7 7 21 24 -3 DDEVV
    19 17 3 10 4 17 20 -3 EVVDE
    18 16 5 3 8 19 24 -5 DDDDD
    16 17 4 4 9 13 19 -6 EDDED
    16 18 4 4 10 15 24 -9 DEVDD
    11 16 2 5 9 19 30 -11 DDEED
    Libertadores Pré-Libertadores Sul-Americana Rebaixados
    vitoria empate derrota