publicidade

Mudanças de lado e prévia na oposição agitam disputa no São Paulo

0 0 0
José Eduardo Mesquita Pimenta é o coordenador de campanha da chapa Casares e Olten — Foto: Rubens Chiri / saopaulofc.net

A menos de seis meses da eleição para presidente do São Paulo, os movimentos são constantes nos bastidores do processo eleitoral.



Até agora Julio Casares (presidente) e Olten Ayres de Abreu Junior (Conselho Deliberativo) são candidatos de uma chapa que se intitula coalizão (por reunir conselheiros de situação, oposição e centro).


LEIA TAMBÉM: Atacante do São Paulo entra na mira do Atlético-GO


Marco Aurélio Cunha, Roberto Natel e Sylvio de Barros são os pré-candidatos a presidente pela oposição. O candidato ao Conselho é Marcelo Marcucci Portugal Gouvêa, filho do ex-presidente Marcelo Portugal Gouvêa, campeão paulista, da Libertadores e mundial no comando do clube, em 2005, e falecido em 2008.

Carlos Augusto de Barros e Silva, o Leco, não poderá concorrer à reeleição.

Abaixo o GloboEsporte.com resume os últimos acontecimentos e aponta os próximos passos.

Mudança de lado

Antes pré-candidatos à presidência do Conselho Deliberativo em uma prévia da oposição, José Roberto Ópice Blum e Homero Bellintani desistiram de disputar essa convenção. Os dois trocaram de lado e confirmaram que agora vão apoiar Julio Casares.

Esse movimento aconteceu depois da entrada do nome de Marcelo Marcucci Portugal Gouvêa como um dos pré-candidatos ao Conselho.

– O motivo maior (da mudança) é que ele (Casares) vai agregar alguns projetos meus, tanto no que seria meu plano pra gestão do Conselho, quanto para enfrentar essa imensa dívida que temos. A partir de primeiro de janeiro é uma bomba prestes a explodir. A decisão foi tomada em função do São Paulo. Se fosse de outra maneira teria continuado minha caminhada diferente. Mas estou vendo uma luz no fim do túnel – disse Homero, que se posicionou nas redes sociais na última terça-feira

Ver essa foto no Instagram

CARTA ABERTA | AO CONSELHO, TORCEDORES E AMIGOS Venho agradecer a todos os companheiros que me apoiaram e deram forças na minha candidatura ao Conselho Deliberativo do SPFC. Agradecer também o apoio de ex-atletas e ilustres figuras do clube, amigos e mídia esportiva . Agradecimento especial ao Dr. Jose Carlos Ferreira Alves e ao Fernando Casal de Rey, pelo apoio e honra que me proporcionaram durante este período. Comunico que por problemas adversos a minha vontade, não participarei mais das eleições ao CONSELHO DELIBERATIVO, por entender que estaria prejudicando o grupo com mais divisões, diante de novas candidaturas do mesmo. De uma coisa eu tenho a absoluta certeza: O SPFC verdadeiro, necessita urgentemente de união, e não divisões múltiplas com ideias adversas, por muitas vezes, sem fundamento. Como sempre, a minha melhor intenção é o bem do SPFC, e seguirei firme trabalhando ! Servir ao SPFC sempre, jamais se servir do SPFC Homero Bellintani Filho - conselheiro vitalício SPFC

Uma publicação compartilhada por Homero Bellintani Filho (@homerobellintanifilho) em



Na semana passada o próprio Julio Casares havia anunciado em uma rede social o apoio de Blum (veja abaixo). A mudança de lado foi confirmada pelo próprio conselheiro. Na última terça-feira os dois voltaram a se encontrar.



Além de Blum e Bellintani, José Carlos Ferreira Alves também saiu da disputa dessa prévia da oposição, mas para evitar conflito com sua posição de desembargador. Ferreira Alves continua com a oposição e é aliado de Marco Aurélio Cunha.

Prévia da oposição em dois turnos
A prévia da oposição para definir um representante terá dois turnos se três candidatos disputarem essa convenção, segundo o ex-presidente Fernando Casal de Rey e uma das lideranças representativas do grupo. Hoje os nomes são Marco Aurélio Cunha, Roberto Natel e Sylvio de Barros.

De acordo com o ex-presidente, os dois mais votados da primeira etapa disputariam um segundo turno. Ele não descartou a possibilidade de alianças prévias entre os pré-candidatos.

Até o momento, no entanto, não há uma data fechada para essa prévia. Fernando Casal de Rey disse que a oposição aguarda a diminuição de casos da pandemia e a consequente liberação das autoridades públicas a reuniões presenciais para, então, definir quando acontecerá essa convenção.

A ideia seria fazer o evento no clube social do São Paulo, cujas atividades foram parcialmente retomadas na última terça-feira. Existe a previsão de uma reunião nesta quinta-feira entre a oposição para debater uma possível data.

– Precisa esperar a pandemia. Não tem como não fazer de um jeito que não seja presencial. O regimento interno da convenção está pronto. Quem deve presidir é o Ferreira Alves. Foi convidado por nós. A data ficou aberta. É quando puder. Se fizer algo restritivo vai prejudicar. Temos tempo suficiente, não há motivo para pressa. É importante fazer com segurança. Devemos ter prudência – afirmou Fernando Casal de Rey.

Eleição de vitalícios

O processo para eleger dez novos conselheiros vitalícios está aberto, com inscrição de candidatos até o fim deste mês.

O passo seguinte é no Conselho Consultivo, órgão formado por ex-presidentes da diretoria e do Conselho Deliberativo. Fazem parte do órgão presidido por José Eduardo Mesquita Pimenta:

Affonso Renato Meira
Leco (atual presidente)
Carlos Miguel Aidar (renunciou em outubro de 2015)
Fernando Casal de Rey (ex-presidente)
Ives Gandra Da Silva Martins
José Augusto Bastos Neto
José Carlos Ferreira Alves
José Douglas Dallora
Marcelo Abranches Pupo Barboza (atual presidente do Conselho Deliberativo)
Milton José Neves
Paulo Amaral Vasconcelos (ex-presidente)
Paulo Planet Buarque
*Laudo Natel, falecido em maio, também era membro

Uma votação interna do Conselho Consultivo filtra dois terços dos candidatos para que, então, os nomes sejam enviados para eleição dos dez novos vitalícios. No Conselho Deliberativo, a eleição é aberta, e cada conselheiro vota em três candidatos.

Após todos esses prazos do estatuto, a expectativa é de que os novos conselheiros vitalícios sejam definidos em setembro.

Os diferentes partidos políticos vão trabalhar para eleger representantes dos seus grupos entre os vitalícios, numa espécie de pequeno termômetro da eleição do fim de ano.

Um eventual resultado de 6 a 4, 7 a 3, 8 a 2 (e assim sucessivamente) entre candidatos da coalizão versus oposição representa uma vantagem maior de vitalícios, base política concreta para a disputa eleitoral. Isso porque o quadro de conselheiros eleitos será aumentado (20 novas cadeiras) e renovado na eleição do Conselho Deliberativo, em novembro.

17ª vaga aberta
Uma nova vaga de vitalício foi aberta na semana passada, após o falecimento do conselheiro Ennio Ennis Minhoto. Agora, no total, são 17 cadeiras de vitalícios vazias. No entanto, só dez serão preenchidas por uma determinação do estatuto do São Paulo.

Para uma outra eleição de mais dez vitalícios seria necessário que mais três cadeiras ficassem vazias. Isso acontece por morte ou renúncia ao cargo.


No total, o trâmite entre inscrição dos candidatos, filtro do Conselho Consultivo e votação no Conselho Deliberativo leva cerca de 60 dias. Portanto, é improvável que mais outros dez vitalícios sejam escolhidos antes da eleição para presidente, em dezembro.

Coordenador de campanha
O ex-presidente José Eduardo Mesquita Pimenta foi escolhido como coordenador de campanha da chapa Julio Casares e Olten Ayres. Ele foi o candidato da oposição derrotado na última eleição, por Leco, e agora está alinhado com esse grupo que, originalmente, é de situação.

Na oposição, o ex-presidente Fernando Casal de Rey é uma espécie de coordenador institucional. Na articulação do dia a dia, os coordenadores dos respectivos grupos políticos conversam com os pré-candidatos. Um dos conselheiros ativos nesse sentido é Newton Luiz Ferreira, o Newton do Chapéu.

No pleito são-paulino, os sócios escolhem os conselheiros (serão 100 eleitos neste ano). Esses, depois de eleitos, votam para decidir o novo presidente.
Cenário no Conselho Deliberativo
Hoje, o Conselho Deliberativo do São Paulo tem 223 cadeiras preenchidas do total de 240. Os 17 lugares vazios são de conselheiros vitalícios que morreram ou abriram mão das vagas para seguir com cargos remunerados na gestão.

O cenário atual, portanto, é o seguinte:

240 cadeiras no total;
223 cadeiras preenchidas;
143 conselheiros vitalícios (de um total de 160 vagas);
80 conselheiros eleitos.



Antes de o São Paulo eleger um novo presidente, em dezembro, haverá eleição no Conselho Deliberativo, em novembro. Por uma mudança no estatuto, as atuais 240 cadeiras passarão a 260 no total. O quadro renovado deverá ser o seguinte:

260 cadeiras no total;
253 cadeiras preenchidas (as sete vagas abertas serão completadas caso outros três conselheiros vitalícios morram ou renunciem, totalizando mais dez lugares vazios para que seja feita uma nova eleição de vitalícios);
154 conselheiros vitalícios (de um total de 160 vagas);
100 conselheiros eleitos (aumento de 20 integrantes).

São Paulo, Mudanças, Prévia, Oposição, Agitam, SPFC


VEJA: São Paulo registra B.O. para apurar ato de vandalismo no CT de Cotia

E MAIS: Portimonense pode comprar Júnior Tavares do São Paulo


NOVO PATROCINADOR PRA CAMISA, DANI ALVES E PATO - COMENTARISTA FALA DE MANO MENEZES NO SPFC


TORCEDORES ATIRAM BOMBAS NO CT E POLÍCIA É REFORÇADA. ARTEFATOS FORAM ENCONTRADOS!



Avalie esta notícia: 2 0

Comentários (3)

08/07/2020 19:37:33 Trakino Light

Estão montando uma teia de aranha para o Marco Aurélio não poder ganhar...

08/07/2020 14:37:43 Donatan Pereira

Marco ja

08/07/2020 13:07:29 Wilson de souza

Tudo farinha do mesmo saco.o único que pode fazer alguma.coisa ai e só marco.aurelho cunha.como presidente

Enviar Comentário

Para enviar comentários, você precisa estar cadastrado e logado no nosso site. Para se cadastrar, clique Aqui. Para fazer login, clique Aqui.